Você está aqui: Página Inicial > Vice-Presidência > Vice-Presidente > Notícias > Notícias do Vice > 2015 > "É preciso apresentar solução para a Reforma Política”, diz Michel Temer na Câmara > "É preciso apresentar solução para a Reforma Política”, diz Michel Temer na Câmara

Notícia

"É preciso apresentar solução para a Reforma Política”, diz Michel Temer na Câmara

publicado: 28/04/2015 15h41 última modificação: 28/04/2015 15h56

Vice-presidente Michel Temer comparece em audiência da Comissão Especial da Reforma Política da Câmara dos Deputados.O vice-presidente Michel Temer participou de audiência pública na Comissão Especial que analisa a Reforma Política na Câmara dos Deputados. Ele pediu aos parlamentares que apresentem uma proposta que seja viável para aprovação ainda este ano.

”É preciso apresentar alguma solução. Já começo a ouvir opiniões descrentes de que o Congresso Nacional possa realizar a reforma, disse. "Se os partidos não se entenderem em torno de um dos sistemas eleitorais, não teremos os 308 votos necessários para a aprovação, enfatizou.

A proposta defendida por Temer é a do voto majoritário para deputados federais, o chamado “Distritão”. Nele, os distritos eleitorais seriam os próprios estados e os candidatos mais votados em cada um seriam os eleitos. O “Distritão” corrigiria a distorção do sistema proporcional, no qual o quociente eleitoral possibilita que candidatos com pouca votação vençam o pleito.

"A regra definidora da Democracia é de que todo poder emana do povo, sempre com a tese de que a maioria governa. A única hipótese em que isso não ocorre é no sistema proporcional, o sistema vigente, explicou.

O vice-presidente analisou as propostas de voto distrital e distrital misto em que os estados são divididos em distritos eleitorais e os mais votados em cada distrito seriam eleitos. Para Michel Temer, a adoção desses sistemas funcionariam apenas para eleição de vereadores e deputados estaduai. No entanto distorceria a atuação e a função dos federais.

"Se você se transformar num grande vereador, não cumprirá a função constitucional de defender os interesses do povo brasileiro. Se o estado de São Paulo for dividido em 70 distritos, ou o deputado levará benefícios da União para sua região ou não conseguirá se eleger, exemplificou. E concluiu: “Acredito que a Reforma Política está madura. Muito além da minha posição referente e convencidamente sobre o Distritão, está o interesse do pais.