Você está aqui: Página Inicial > Vice-Presidência > Vice-Presidente > Notícias > Notícias do Vice > 2014 > Michel Temer ressalta avanços do Brasil nos últimos anos

Notícia

Michel Temer ressalta avanços do Brasil nos últimos anos

por ASCOM/VPR publicado: 19/05/2014 12h57 última modificação: 10/11/2014 15h45
Julia maass - VPR MICHEL TEMER RESSALTA AVANÇOS DO BRASIL NOS ÚLTIMOS ANOS

MICHEL TEMER RESSALTA AVANÇOS DO BRASIL NOS ÚLTIMOS ANOS

O vice-presidente Michel Temer destacou os avanços econômicos e sociais conquistados pelo Brasil. Em palestra, nesta segunda-feira (19) na Associação Comercial de São Paulo (ACSP), ele defendeu que a estabilidade institucional contribuiu positivamente para que garantias e melhorias no setor produtivo fossem levadas a diferentes áreas em distintas regiões. "O direito é o estabilizador das relações sociais", apontou. 

Michel Temer falou que, diante do fim das crises, houve uma amálgama de princípios liberais e sociais na Constituição de 1988. Segundo ele, criou-se o ambiente propício para ganhos que retiraram mais de 36 milhões de pessoas da miséria, corrigindo desequilíbrios. Para o vice, com a expansão de uma nova classe média, exige-se avanços na democracia brasileira. "A pessoa compra um carro e fica presa no trânsito por três horas. O ônibus e o metrô estão sempre lotados. Cobra-se mais eficiência", avaliou. 

Segundo Temer, o atual momento é o da democracia eficiente, com melhores serviços, do público ao privado. Cobrança que também recai sobre os políticos. Como exemplo, Michel Temer mencionou a Lei da Ficha-Limpa aprovada, quando era presidente da Câmara dos Deputados, para tornar o sistema político mais eficaz.

 As manifestações que surgiram no país em junho de 2013, para Temer, também são fruto da aspiração por mais eficiência. "Na nossa bandeira, ordem vem antes de progresso. Por isso, quando houve violência, o povo se afastou das manifestações", avaliou. Ele, contudo, reconheceu os protestos como forma de expressão por melhorias.

 O vice-presidente da República também relatou que, nas viagens internacionais, percebe o prestígio que o Brasil mantém. É o caso da parceria com a China, cujo mercado ampliou-se recentemente para a soja brasileira, e dos investimentos que chegam ao país. 

 "Quando inaugurei uma fábrica da BMW em Santa Catarina, a empresa fez um anúncio elogiando o Brasil. Será que empresário investe para perder dinheiro? Claro que não! Então, acho que há muitas razões para otimismo". E acrescentou: "Temos muito a realizar, mas tudo isso é um processo. Não devemos ter pessimismo com o Brasil. Não temos nenhum céu cinzento pela frente", defendeu.

 O vice-presidente da República disse ainda que se sentia em casa na Acsp. Seu pai foi comerciante e viveu, quando criança em Tietê, os dramas e angústias do nível de vendas no seu cotidiano.