Você está aqui: Página Inicial > Vice-Presidência > Vice-Presidente > Notícias > Notícias do Vice > 2014 > Michel Temer encontra-se com empresários chineses e brasileiros em Pequim

Notícia

Michel Temer encontra-se com empresários chineses e brasileiros em Pequim

por ASCOM/VPR publicado: 08/11/2013 13h27 última modificação: 19/03/2014 13h00
Anderson Riedel/VPR O Vice-presidente da República, Michel Temer, reuniu-se em Pequim, na capital chinesa, com empresários brasileiros e chineses

O Vice-presidente da República, Michel Temer, reuniu-se em Pequim, na capital chinesa, com empresários brasileiros e chineses

O vice-presidente da República, Michel Temer, reuniu-se em Pequim, na capital chinesa, com empresários brasileiros e chineses. O rápido encontro antecedeu a abertura da reunião anual do Conselho Empresarial Brasil-China, que ocorreu ao longo desta sexta-feira (8) e reuniu mais de 150 empresários dos dois países.

Durante a cerimônia de abertura do evento, os presidentes do Conselho pelo lado chinês, Liu Mingzhong, e brasileiro, embaixador Sérgio Amaral, ressaltaram a importância da participação do vice-presidente Temer no encontro. “A sua presença entre nós marca o seu interesse em ouvir os empresários para dar sintonia e melhorar as relações entre governo e o setor empresarial”, disse Sérgio Amaral.

Michel Temer lembrou os avanços econômicos e financeiros obtidos pelos dois países desde que o Conselho foi criado, em 2004. Segundo o vice-presidente,

a agenda sino-brasileira registrou avanços expressivos nesse período. O comércio bilateral passou de 9,1 bilhões, em 2004, para 75,5 bilhões em 2012 . No entanto, Michel Temer ressaltou que é preciso avançar mais: "As exportações do Brasil se concentram ainda em um pequeno grupo, embora expressivo, de produtos primários. Minério de ferro, soja e petróleo respondem por 78% de nossas exportações. Por isso, devemos reforçar o nosso empenho na busca por ampliar a participação de produtos de maior valor agregado".

Temer disse ainda aos empresários que estava otimista com o resultado da viagem à China. "Percebi, nas várias reuniões que tive nesta semana, uma disposição muito grande para incrementar as importações chinesas no tocante a essas matérias de valor agregado".

O vice-presidente também aproveitou o encontro para fazer um apelo aos investidores estrangeiros. “Estamos começando a duplicar 7,5 milhões de quilômetros de rodovias no nosso País. Dez mil quilômetros de ferrovias. Vamos estabelecer e ampliar mais de 240 aeroportos regionais, assim como a nossa área portuária. Para isso, eu convido os empresários chineses a se associarem a empresas brasileiras para realizarem esse trabalho”, concluiu.

A China é o principal parceiro comercial do Brasil. Mais de 80% das vendas brasileiras ao país asiático são de produtos primários, enquanto 90% das importações nacionais são de manufaturados chineses. O Brasil quer ampliar as vendas e agregar maior valor aos produtos, além do que atrair mais investimentos para alavancar a economia. Recentemente, duas empresas chinesas fizeram parte do consórcio vencedor da primeira licitação de partilha de produção do pré-sal, são elas a CNOOC International Limited e a China National Petroleum Corporation (CNPC).