Você está aqui: Página Inicial > Vice-Presidência > Vice-Presidente > Notícias > Notícias do Vice > 2013 > Junho > Bill Gates quer cooperação do Brasil para produção agrícola na África

Notícia

Bill Gates quer cooperação do Brasil para produção agrícola na África

por Portal Planalto publicado: 07/06/2013 19h59 última modificação: 08/06/2013 12h03
Ascom/VPR

O presidente da Fundação Bill & Melinda Gates, Bill Gates, disse ao vice-presidente da República, Michel Temer, que quer aumentar a cooperação com o Brasil para ganho de produtividade agrícola em países africanos. A fundação comandada pelo fundador da Microsoft atua para combater a fome na África. A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) já desenvolve projetos com Gates, mas a intenção do norte-americano é aumentar a parceria.

“Precisamos de um pacote de ferramentas que seja efetivo e barato que possa ser utilizado em pequenas propriedades”, disse Gates. “O que tem sido mais frustrante, desde que começamos a trabalhar na África tem sido a demora para adaptação de culturas”, completou. Ele disse que tem um plano ambicioso de disseminar pelo continente um modelo que compreenda capacitação de técnicos, disponibilização de tecnologia e de mudas.

Michel Temer falou sobre o projeto desenvolvido pela Embrapa em Moçambique que levou as culturas de soja, milho, trigo e algodão adaptadas ao Cerrado Brasileiro para se adequarem às condições da Savana Africana. “O Brasil tem todas condições para ajudar ainda mais os países africanos, dadas as semelhanças que existem para o plantio dessas culturas”, disse o vice-presidente. Temer lembrou que o projeto, que tem capital japonês e tecnologia brasileira e se estende por 40 milhões de hectares, pode servir de modelo para novas parcerias.

O presidente da Embrapa, Maurício Lopes, falou sobre alguns dos 48 projetos em países africanos. E também dos estudos sobre clima e solo desenvolvido com auxílio de imagens de satélite. Para ele, há muito espaço para a Embrapa atuar na África em convênio com a Fundação Gates, que tem capital estimado em US$ 37 bilhões.