Você está aqui: Página Inicial > Vice-Presidência > Vice-Presidente > Notícias > Notícias do Vice > 2012 > Outubro > Deputado alemão defende euro forte

Notícia

Deputado alemão defende euro forte

por Portal Planalto publicado: 03/10/2012 14h28 última modificação: 03/10/2012 15h10

O líder do governo no parlamento alemão, Volker Kauder, disse ao vice-presidente da República, Michel Temer, que a Europa não praticará a política monetária de emissão de moeda para escapar da crise econômica. O parlamentar disse que a Alemanha lidera o movimento para fortalecer o euro por meio de reformas estruturais nos países europeus. “A União Européia não se trata apenas da moeda comum, mas de uma integração de fato entre os países. Por isso, quando eu voltar ao Brasil daqui a dois anos, tenho certeza de que teremos saído da crise e estaremos mais fortalecidos”, previu Kauder.

A audiência ocorreu no gabinete da Vice-Presidência da República e teve as presenças dos deputados alemães Andreas Schockenhoff (do Comitê de Relações Exteriores) e Monika Grütters (do comitê de Assuntos Culturais), além do Embaixador alemão, Wilfried Grolig.

O vice-presidente Michel Temer disse que o Brasil quer colaborar ainda mais com a Europa. Anunciou que irá à Alemanha em novembro com uma comitiva de empresários que tem o objetivo de aprimorar a relação comercial e industrial com empresas germânicas. “Propomos mais investimentos da Alemanha no Brasil, maior integração entre médias e pequenas empresas dos dois países e o aumento do intercâmbio de estudantes brasileiros para universidade alemãs, com possibilidade de estágio em empresas alemãs”, falou Temer.

Volker reassaltou que o governo alemão considera o Brasil um país estratégico e que verifica a influência brasileira nas reuniões do G-20. Também disse estar impressionado com os feitos da economia brasileira e que os pleitos do vice-presidente serão levados à chanceler Angela Merkel, que deve se encontrar com Temer em novembro, em Berlim. Eles ressaltaram que os dois países trilham o mesmo caminho no que se refere à reforma do Conselho de Segurança da ONU, com a demanda de ocuparem assentos permanentes.

Assunto(s): Governo federal