Você está aqui: Página Inicial > Vice-Presidência > Vice-Presidente > Notícias > Notícias do Vice > 2012 > Fevereiro > Cosban - Íntegra do discurso do Vice-Presidente Michel Temer

Notícia

Cosban - Íntegra do discurso do Vice-Presidente Michel Temer

Confira a íntegra do brinde conferido pelo vice-presidente da República, Michel Temer, em almoço oferecido ao vice-primeiro-ministro chinês Wang Qishan no Palácio do Itamaraty nesta segunda-feira (13/02).
por Portal Planalto publicado: 14/02/2012 11h28 última modificação: 16/05/2012 16h10

SEGUNDA REUNIÃO DA COMISSÃO SINO-BRASILEIRA DE ALTO NÍVEL DE CONCERTAÇÃO E COOPERAÇÃO (COSBAN)

13 de fevereiro de 2012

Brinde do Senhor Vice-Presidente da República por ocasião de almoço oferecido ao Vice-Primeiro-Ministro da República Popular da China, Wang Qishan

 

Excelentíssimo Senhor Vice-Primeiro-Ministro da República Popular da China,  Wang Qishan,

 Excelentíssimos Senhores Ministros e demais autoridades aqui presentes,

 Digníssimos representantes do Setor Empresarial,

 Senhoras e Senhores,

 É com grande satisfação que nos reunimos hoje para homenagear Vossa Excelência e sua distinta delegação.  Muito nos honra recebê-lo em Brasília para a Segunda Reunião da Comissão Sino-Brasileira de Alto Nível de Concertação e Cooperação (COSBAN) – o mais importante mecanismo formal da Parceria Estratégica entre nossos países. É para mim um privilégio co-presidir, juntamente com Vossa Excelência, esse importante mecanismo.

 Criada em 2004, por ocasião da visita à China do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a COSBAN nos proporciona a estrutura institucional necessária ao acompanhamento de uma relação cuja natureza estratégica se reafirma continuamente. 

 As onze Subcomissões que a integram constituem-se em importantes canais técnicos para o encaminhamento da já ampla - mas ainda crescente - agenda bilateral.   A COSBAN abarca, assim, o acompanhamento de nossas relações em áreas importantes como o diálogo político sobre temas de interesse comum no plano bilateral e em foros multilaterais; as relações de comércio e investimentos; os temas financeiros; agricultura; energia e mineração; e a cooperação espacial e em ciência e tecnologia e inovação; além dos setores da educação e cultura. 

Senhor Vice-Primeiro-Ministro, 

Brasil e China revelaram capacidade de reação rápida e consistente aos efeitos da crise de 2008 e de sua reincidência mais recente, centrada nos países da zona do euro. Os dois países têm importante papel a desempenhar na recuperação da economia global e estão comprometidos a assegurar condições para manter seu crescimento interno de forma estável e robusta.

Durante sua visita de Estado a Pequim, em abril de 2011, a Presidenta Dilma Rousseff registrou as similaridades entre o XII Plano Qüinqüenal chinês e o Plano de Aceleração do Crescimento no Brasil. O Plano Qüinqüenal chinês tem entre suas prioridades a melhoria das condições de vida da população, a busca de maior eficiência energética e o respeito ao meio ambiente, além de elevados investimentos em educação e ciência e tecnologia. O Governo e o povo brasileiros valorizam muito esses objetivos, os quais compartilhamos plenamente.

Nossos respectivos programas domésticos de inclusão social foram intensificados, em benefício das camadas menos favorecidas de nossas populações. Essas circunstâncias nos credenciam para o lançamento de um novo ciclo virtuoso em nossa parceria.

Nossas relações econômico-comerciais tiveram notável crescimento desde a realização da última reunião da COSBAN em 2006.  O fluxo comercial, que então era de cerca de US$ 16 bilhões, hoje já ultrapassa a casa dos 77 bilhões de dólares. A China ocupa, desde 2009, a posição de principal parceiro do Brasil; constitui o maior mercado para nossas exportações e é nosso segundo maior fornecedor. Nosso comércio bilateral cresceu 36,7% apenas entre de 2010 a 2011, contra crescimento de 6,6% do comércio mundial. Por sua vez, o Brasil ascendeu da 12ª para a 8ª posição como parceiro global da China. Registramos também, com satisfação, o aumento e diversificação dos investimentos chineses no Brasil em 2011. 

Brasil e China são economias industriais com alto grau de diversificação, o que deve ser refletido no comércio bilateral. O intercâmbio comercial entre nossos países mostra expressivos resultados quantitativos e elevado grau de complementaridade. 

Nosso desafio agora é o de propiciar meios para a promoção do salto qualitativo na nossa parceria estratégica, conforme proposto pela Presidenta Dilma Rousseff, por ocasião de sua Visita de Estado à China em abril de 2011.  Nesse sentido, devemos nos empenhar em benefício da diversificação das exportações brasileiras para o mercado chinês. Nossas exportações para a China ainda estão concentradas em pequeno número de produtos primários.  O crescimento que se verifica nas cifras do comércio bilateral traduz antes o aumento do preço desses produtos do que a elevação do volume exportado.  A atual composição dessas exportações, além de gerar número relativamente limitado de empregos, é ainda vulnerável a flutuações de preços, de demanda e condições climáticas. 

Nesse sentido, esperamos contar o apoio chinês para assegurar maior participação de produtos manufaturados nas exportações brasileiras para o mercado chinês. Queremos também ampliar a participação de investimentos brasileiros na China. Também nos preocupamos com o aumento maciço e indiscriminado de produtos chineses no mercado brasileiro, o que ocasiona o deslocamento da produção brasileira, gerando desemprego e dificuldades para o setor empresarial brasileiro. Nosso objetivo é criar condições para a continuidade do crescimento bilateral. 

O expressivo número de empresários brasileiros aqui presentes identifica na China grandes possibilidades nos setores de comércio e investimentos. A COSBAN dispõe de mecanismos técnicos para o adequado encaminhamento da temática econômico-comercial. Precisamos agora agregar impulso político para superarmos o desafio de elevar o patamar de nossa Parceria Estratégica.

Excelentíssimo Senhor Vice-Primeiro-Ministro,

No plano externo, nossos dois países são cada vez mais chamados a contribuir para o encaminhamento dos grandes temas da agenda internacional. A afirmação do BRICS e do G-20 como atores internacionais de primeira ordem evidencia nossa capacidade, como grandes países em desenvolvimento, de contribuirmos para a construção de uma ordem internacional mais equitativa e próspera.  Assim como buscamos maior participação dos países em desenvolvimento nas instituições financeiras internacionais, devemos também trabalhar pela reforma do Conselho de Segurança das Nações Unidas, mediante a ampliação de seus membros permanentes e não-permanentes.

Nossa atuação coordenada no âmbito do BASIC (Brasil, África do Sul, Índia e China) tem sido de grande relevância nas negociações sobre a temática da mudança do clima. Também compartilhamos interesses na promoção do desenvolvimento sustentável. Aguardamos, com muito interesse, a delegação de alto nível que a China enviará à próxima Conferência Rio+20 sobre Desenvolvimento Sustentável, que terá como foco o desenvolvimento da economia verde, num contexto de erradicação da pobreza.

Senhor Vice-Primeiro-Ministro,

Neste momento de início do Ano Novo chinês, sob os venturosos auspícios do Signo do Dragão, é com o espírito de congraçamento pelo futuro das relações entre o Brasil e a China, e reiterando meu empenho pessoal em trabalhar junto com Vossa Excelência pelo sucesso dos trabalhos da COSBAN, que proponho um brinde à saúde e felicidade de Vossa Excelência e de todo o povo chinês.

Muito obrigado

Assunto(s): Governo federal