Você está aqui: Página Inicial > Vice-Presidência > Vice-Presidente > Notícias > Notícias do Vice > 2011 > Abril > Infraero autoriza ampliação do Aeroporto de Vitória

Notícia

Infraero autoriza ampliação do Aeroporto de Vitória

Obra vai triplicar a área de embarque e desembarque do Aeroporto Eurico de Aguiar Salles, que passará dos atuais 800 metros quadrados para 2.400 metros quadrados
por Portal Planalto publicado: 18/04/2011 18h36 última modificação: 26/11/2014 18h51

O presidente da Infraero, Gustavo do Vale, assinou Ordem de Serviço, no valor de R$ 4 milhões, para a construção do Terminal de Passageiros Auxiliar no Aeroporto de Vitória, em audiência com o Vice-presidente da República, Michel Temer, e o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande. A obra vai triplicar a área de embarque e desembarque do Aeroporto Eurico de Aguiar Salles, que passará dos atuais 800 metros quadrados para 2.400 metros quadrados. A deputada Rose de Freitas, Presidente em exercício da Câmara dos Deputados, e os deputados Camilo Cola, Audifax, Cesar Colnago, Manato e Dr. Jorge Silva presenciaram a assinatura da Ordem de Serviço. As obras tiveram início nesta segunda-feira (18/4).

Participaram ainda da audiência com o Vice-presidente, o ministro-chefe da Secretaria de Aviação Civil, Wagner Bittencourt de Oliveira, e o General Joaquim Brandão, Chefe interino do Departamento de Engenharia e Construção do Exército. Durante o encontro, também foi discutida a participação das Forças Armadas na ampliação do terminal de passageiros de Vitória.

“A questão do Aeroporto de Vitória é dramática e merece toda a nossa atenção. A atuação da bancada federal tem sido muito positiva e hoje foi assinada essa Ordem de Serviço, agora se dá início à licitação para a execução das obras”, avaliou o Vice-presidente.

O General Brandão informou aos representantes capixabas que não seria possível, neste momento, a execução da obra do terminal pelas Forças Armadas. O Exército está finalizando os projetos de pátio, pista e acesso do aeroporto, mas não tem pessoal disponível, até dezembro, para executar os trabalhos, como era a demanda apresentada pelo governador Casagrande e pelos deputados federais. “Podemos entrar com a fiscalização, mas isso não adiantaria o processo em quatro meses, como gostariam os representantes do Espírito Santo”, declarou o General Brandão.

Atualmente, os 12 Batalhões de Engenharia do Exército trabalham em 40 projetos de construção e 30 de fiscalização, sendo que um grande número dessas obras faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). “O Exército entra na obra com o projeto e pode atuar na fiscalização. E, se houver necessidade, pode entrar na execução mais à frente”, disse Michel Temer.