Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2015 > 06 > Sete rodovias e seis aeroportos receberam investimentos bilionários na primeira fase do Programa de Investimentos em Logística

Notícia

Sete rodovias e seis aeroportos receberam investimentos bilionários na primeira fase do Programa de Investimentos em Logística

Infraestrutura e Logística

Entre os principais destaques estão trecho da Ferrovia Norte-Sul, que opera entre Anápolis e Palmas, e aeroportos de São Gonçalo do Amarante (RN), Brasília (DF), Campinas (SP), Guarulhos (SP), Galeão (RJ) e Confins (MG)
por Portal Planalto publicado: 09/06/2015 14h19 última modificação: 09/06/2015 19h38

Os frutos da primeira fase do Programa de Investimentos em Logística, lançado em 2012, são visíveis pelo Brasil, seja em aeroportos, portos, rodovias e ferrovias. 

A Ferrovia Norte-Sul, por exemplo, é um dos principais expoentes do setor ferroviário. O trecho entre Anápolis (GO) e Palmas (TO) entrou em operação comercial em março deste ano. A extensão de 855 quilômetros foi a primeira do Brasil a operar sob as novas regras que estabelecem requisitos técnicos e operacionais para as concessionárias. 

Concebida há 27 anos para interligar a malha ferroviária e diminuir custos de transporte, a Norte-Sul terá 4.155,6 quilômetros e interligará dez estados do território nacional. 

Já no setor aeroportuário, seis aeroportos foram concedidos à iniciativa privada desde 2012: São Gonçalo do Amarante (RN), Brasília (DF), Campinas (SP), Guarulhos (SP), Galeão (RJ) e Confins (MG). 

Desde que passaram a ser administrados pela iniciativa privada, esses aeroportos brasileiros apresentaram melhorias de infraestrutura notáveis, especialmente para os mais interessados: os passageiros. De acordo com a Secretaria de Aviação Civil (SAC), a movimentação nos aeroportos do País no primeiro trimestre de 2015 aumentou 4,68% em comparação com o mesmo período de 2014. 

A última Pesquisa de Satisfação do Passageiro (de abril de 2015), que é realizada pela Secretaria de Aviação Civil trimestralmente, mostrou que os passageiros estão mais satisfeitos com os aeroportos nacionais. No total, foram ouvidos 13.384 usuários. Dos 15 aeroportos pesquisados no primeiro trimestre deste ano, 10 foram avaliados com notas acima de 4, em uma escala de 1 a 5. 

Entre os aeroportos mais bem avaliados, três estão concedidos à iniciativa privada: Viracopos teve nota 4,38, Brasília ficou com 4,26, e Guarulhos alcançou 4,05. Em seguida vêm Confins com nota 3,88, e Galeão, com 3,85.  

Outro destaque é o setor de rodovias. De 2013 a 2015 já foram realizados sete leilões que concederam os mais de 4.800 quilômetros à iniciativa privada. A maioria concentra-se em ações de duplicação da malha viária no Centro-Oeste. 

Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul são os estados mais beneficiados pelas futuras obras de duplicação, construção e manutenção de trechos rodoviários. A região é a maior produtora nacional da soja - 43,7 milhões de toneladas segundo o último levantamento da safra 2014/15 - tendo três estados (MT, GO e MS) entre os cinco maiores produtores nacionais.  

Confira os detalhes das realizações após os investimentos da primeira fase do Programa de Investimentos em Logística: 

Rodovias

Para melhorar a infraestrutura e a logística para o escoamento da produção agrícola e industrial brasileira, o governo federal concedeu nos últimos dois anos à iniciativa privada mais de 4.800 quilômetros de rodovias.  

De 2012 até hoje, quase 5 mil quilômetros de estradas foram concedidos à administração da iniciativa privada que garantiram melhorias na infraestrutura viária de diversos estados. 

O objetivo é oferecer aos brasileiros uma malha de estradas ampla, moderna e integrada e com tarifas de pedágio mais baixas em parceria estratégica com o setor privado.  

Parceria com setor privado prevê investimentos de até R$ 32 bilhões

Portos

No setor portuário, as medidas anunciadas em 2012 (pela primeira etapa do Programa de Investimentos em Logística) estimularam a modernização da infraestrutura portuária e promoveram a competitividade da economia brasileira. 

Daquele ano para 2014, o setor registrou aumento de 7% no total de cargas movimentadas nos portos brasileiros, segundo o Anuário Estatístico Aquaviário 2014, da Agência Nacional de Transportes Aquaviários.  

Desde a regulamentação da Lei dos Portos, em 2013, R$ 13,46 bilhões já foram investidos no setor portuário, segundo dados da Secretaria de Portos da Presidência da República. Os investimentos refletem a abrangência da Lei que simplificou a logística portuária e acabou com o desentrave de cargas que demoram a ser despachadas nas áreas portuárias, permitindo assim o maior escoamento da produção.  

Só no período citado de 2013-2015, empresas privadas foram responsáveis pelo investimento de R$ 13,06 bilhões em Terminais de Uso Privado (TUPs). Deste total, oito TUPs (R$ 160 milhões) foram construídas e modernizadas, quatro estão em expansão (R$ 4,5 bilhões) e 28 TUPs (R$ 8,4 bilhões) já existentes receberam autorização da União ou órgão público competente para serem administrados por outras empresas privadas. 

Investimentos feito no porto, localizado no Rio de Janeiro, ir]ão aumentar em 63% a capacidade do terminal

Aeroportos

A partir da primeira fase do Programa de Investimento em Logística, o governo federal leiloou seis terminais: Aeroporto Internacional de Brasília – Presidente Juscelino Kubitschek; Aeroporto Internacional de São Paulo – Guarulhos; Aeroporto Internacional de Campinas – Viracopos; Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro – Galeão; Aeroporto Internacional de Belo Horizonte – Confins; e Aeroporto de Natal – São Gonçalo do Amarante. 

Em 2014, 117 milhões de passageiros utilizaram os aeroportos do País. Segundo o ministro da Aviação Civil, Eliseu Padilha, a capacidade dos aeroportos nacionais vai triplicar nos próximos 20 anos, e a aviação regional deverá ter um crescimento de 9% ao ano.  

Confira as melhorias já executadas e previstas para os aeroportos do Galeão, Brasília, Guarulhos, Viracopos, Confins e São Gonçalo do Amarante

Ferrovias 

Somente nos últimos três anos, foram concluídos 1.088 quilômetros em linhas férreas. Trata-se de um volume cinco vezes superior aos 215 quilômetros construídos em todo o intervalo de 17 anos entre 1986 e 2002, quando o setor esteve praticamente paralisado.  

O compromisso assinado com as empresas na primeira fase do programa de logística previa melhorias que, em 30 anos – média de período dos contratos – irá duplicar a capacidade de passageiros destes aeroportos que, em 2014, fecharam o ano com o transporte de 98 milhões pessoas. 

Só em 2013, o Brasil transportou 490 milhões de toneladas de cargas, de acordo com o último consolidado anual divulgado pela Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários.

Ferrovia Norte-Sul terá a extensão de 4.155,6 quilômetros e interligará dez estados do território nacional

Fontes: 

Portal Planalto, com informações da Secretaria de Aviação Civil, Programa de Investimentos em Logística, Ministério dos Transportes, Blog do Planalto