Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2015 > 06 > Responsável por 23% do PIB, Plano Safra impulsiona agropecuária

Notícia

Responsável por 23% do PIB, Plano Safra impulsiona agropecuária

Agronegócio

Governo federal destina recursos para financiar custeio, comercialização e investimento da produção agrícola
por Portal Planalto publicado: 02/06/2015 08h36 última modificação: 02/06/2015 08h36

O Plano Agrícola e Pecuário (Plano Safra) é a principal ação do governo federal para estimular a produção agrícola nacional por meio de financiamentos para o custeio, comercialização e investimento da produção de commodities e alimentos para consumo interno e exportação. Nesta terça-feira (2), a presidenta Dilma Rousseff e a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento apresentam a nova versão do plano, válida para a safra de 2015/2016. 

O agronegócio foi responsável por 23% do total do Produto Interno Bruto (PIB) registrado pela economia brasileira em 2014. Isso significa que R$ 1,1 trilhão das riquezas produzidas no País vieram da agricultura e da pecuária. O PIB do setor conquistou variação positiva graças ao crescimento de culturas como a soja e a mandioca. 

Nos três primeiros meses de 2015 o crescimento das riquezas produzidas no campo foi 4,7% maior do que o registrado no quarto trimestre de 2014. “Para 2015, esperamos um avanço ainda maior. Somos otimistas em relação à agropecuária brasileira, que continua cumprindo sua trajetória de crescimento sustentável e respondendo à altura do que a economia precisa”, disse a ministra Kátia Abreu ao elogiar o desempenho da agropecuária no PIB de 2014. 

Para a safra 2014/2015, o governo federal destinou R$ 156 bilhões em créditos rurais para os produtores. De acordo com o Ministério da Agricultura, foram contratados 81% dos recursos disponíveis. Para custeio e comercialização foram aplicados R$ 92 bilhões e para investimentos, R$ 34,8 bilhões. 

Esses investimentos ajudaram o Brasil a superar a estimativa da produção de grãos para a safra que termina este mês. No início de maio - portanto já próximo do fim da temporada agrícola -, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgou que o Brasil poderia terminar 2014/2015 com a colheita de 202,23 milhões de toneladas de grãos, valor 4,4% superior ao registrado na safra anterior. O crescimento foi puxado pelo ganho nas produtividades do milho, soja e trigo. 

Créditos rurais 

Os créditos de custeio são aqueles disponíveis para cobrir despesas dos ciclos produtivos, da compra de insumos à fase de colheita. Já os créditos de investimento são aplicados em bens ou serviços duráveis, cujos benefícios repercutem durante muitos anos. Por sua vez, os créditos de comercialização asseguram ao produtor rural e a suas cooperativas os recursos necessários à adoção de mecanismos que garantam o abastecimento e levem o armazenamento da colheita nos períodos de queda de preços. 

Do total dos recursos disponibilizados para financiamento em cada ano safra parte desses recursos são emprestados a juros controlados, ou seja, com taxas fixas e estabelecidas a depender da finalidade do crédito, da fonte de recursos ou do programa de investimento.

Fonte:

Portal Planalto, com informações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e Companhia Nacional de Abastecimento