Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2015 > 06 > Programa de investimento destina mais de R$ 86 bilhões para ampliar ferrovias

Notícia

Programa de investimento destina mais de R$ 86 bilhões para ampliar ferrovias

Logística e exportação

Setor de ferrovias foi contemplado com o maior montante financeiro considerando as quatro áreas de logística. Projetos adicionarão mais de 7 mil quilômetros em linhas férreas no território nacional
por Portal Planalto publicado: 09/06/2015 15h05 última modificação: 10/06/2015 12h17
Foto: Guilherme Rosa / Blog do Planalto Três trechos da Ferrovia Norte-Sul, empreendimento que cortará o País de ponta a ponta, serão contemplados com investimentos pelo programa de concessão

Três trechos da Ferrovia Norte-Sul, empreendimento que cortará o País de ponta a ponta, serão contemplados com investimentos pelo programa de concessão

A nova etapa do Programa de Investimentos em Logística, anunciada nesta terça-feira (9), prevê R$ 86,4 bilhões para conclusão de seis blocos de projetos para as ferrovias brasileiras. Estão incluídas na lista a ferrovia Transcontinental (em parceria com o Peru, ligando o Brasil ao Pacífico) e três trechos da Ferrovia Norte-Sul, megaempreendimentos com capacidade de ampliar as rotas de acesso do País. 

O setor de ferrovias receberá o maior montante financeiro previsto pelo programa entre os quatro setores de logística. Quando concluídos, os projetos adicionarão mais de 7.500 quilômetros em linhas férreas à malha ferroviária brasileira, contribuindo para melhorar o escoamento da produção agrícola para o exterior e reduzir custos logísticos com o transporte destes e outros produtos. 

A expectativa é de que somente a Transcontinental, ferrovia que criará um canal de acesso ao Oceano Pacífico sem passar pelo Panamá, responde por mais de 3 mil quilômetros de linhas férreas.

Considerando somente os três últimos anos, foram concluídos 1.088 quilômetros em linhas férreas. Trata-se de um volume duas vezes superior aos 512 quilômetros construídos em todo o intervalo de sete anos entre 1995 e 2002, quando o setor esteve praticamente paralisado.

"Nós avançamos muito na construção de ferrovias nos últimos anos, mas precisamos avançar mais", declarou o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, durante a cerimônia de anúncio do Programa. 

A partir dos investimentos destinados ao setor, o governo atende o objetivo de reduzir o custo do transporte e tornar a economia mais competitiva, por meio da integração de todas as regiões brasileiras, além de combater gargalos incompatíveis com o desenvolvimento. 

O modelo de concessão previsto para as ferrovias contará com uma novidade nesta etapa do Programa: o governo poderá optar entre realizar os leilões por meio de outorga, ou seja, vence quem oferecer a maior proposta, por menor tarifa ou compartilhamento de investimentos. A escolha se dará de acordo com as características de cada ferrovia. Em todos os casos, haverá garantia de acesso a terceiros, incluindo direito de passagem e tráfego mútuo.

Confira os trechos previstos para serem leiloados na nova fase do programa federal

Transcontinental

A Ferrovia Transcontinental, megaempreendimento atualmente em fase de estudos, prevê um canal de acesso entre o território brasileiro e o Oceano Pacífico, cortando toda a América do Sul de Oeste a Leste. A ferrovia atravessará a cordilheira dos Andes para alcançar o oceano, passando pelo território peruano e dispensará a passagem pelo Panamá de produtos destinados a exportação .

"Ao ligar atlântico e pacífico o Brasil passa a ter acesso diferenciado aos mercados asiáticos e isso significa um posicionamento extremamente estratégico em relação às transações comerciais internacionais", declarou a presidenta Dilma Rousseff.

O memorando de entendimento entre Brasil, China e Peru para a obra já foi assinado. O prazo para que os estudos sejam finalizados é maio de 2016.

Ferrovia Norte-Sul

O plano de investimentos contemplará também novos trechos da Ferrovia Norte-Sul, empreendimento que cortará o País de ponta a ponta, interligando diferentes sistemas de transporte. Estão previstas as concessões de três trechos da ferrovia, sendo que a concessão do traçado que liga Anápolis (GO) a Palmas (TO) está condicionada a um segundo trecho, entre as cidades de Açailância (MA) e Bacarena (PA). 

“Ao terem de construir o trecho entre Açailândia e Bacarena, vamos melhorar a saída de produtos pelos portos do Norte”, afirmou o ministro  Nelson Barbosa. O segundo trecho conectará Anápolis (GO), Estrela D'Oeste (SP) e Três Lagoas (MS), com o objetivo de interligá-la com o polo agroindustrial de Três Lagoas, além de concluir o corredor Norte-Sul com o trecho sul da ferrovia.

A Norte-Sul vai proporcionar acesso de produtores a vários portos e corredores de exportação e a redução do custo do transporte de carga, do consumo de combustível e do índice de acidentes nas estradas, já que grande parte da carga escoada atualmente pelas rodovias poderá ser transportada pela Ferrovia Norte-Sul.

Fonte:
Portal Planalto, com informações do Ministério do Planejamento, do Blog do Planalto e da Agência Brasil