Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2015 > 06 > Negros são a maioria nos cursos do Pronatec

Notícia

Negros são a maioria nos cursos do Pronatec

Qualificação profissional

População alcançou 53% das matrículas nos cursos do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego para o público do Plano Brasil sem Miséria
por Portal Planalto publicado: 08/06/2015 20h10 última modificação: 08/06/2015 20h10

Das 1,75 milhão de matrículas registradas desde 2011 no Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), mais de 919,7 mil foram feitas por candidatos negros. Levando em consideração os cidadãos atendidos pelo Plano Brasil sem Miséria também matriculados em cursos do Pronatec, a população negra preenche 53% da vagas, sendo que 68% são mulheres. 

Entre 2011 e 2014, 3.623 cidades brasileiras registraram matrículas em 637 cursos de qualificação profissional e inserção no mercado de trabalho. Auxiliar administrativo, operador de computador, eletricista, costureiro, manicure e pedicure, recepcionista, pedreiro de alvenaria, vendedor, auxiliar de recursos humanos estão entre os cursos mais procurados.

As informações foram registradas no “Caderno de Resultados da População negra” do Plano Brasil sem Miséria (BSM). A publicação do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) apresenta números que atestam a inclusão produtiva e a superação da pobreza entre a população negra brasileira nos últimos anos.  Ainda segundo o documento, 49% dos inscritos negros/negras têm idade entre 18 e 29 anos.

Conheça as ações do governo federal que contribuíram para a redução da pobreza da população negra

O Pronatec Brasil sem Miséria promove a formação inicial e continuada de pessoas em situação de vulnerabilidade social inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico). As capacitações gratuitas são voltadas para a inserção no mercado de trabalho, com duração mínima de 160 horas. A política pública é coordenada pelos ministérios do Desenvolvimento Social e Agrário, em parceria com o Ministério da Educação (MEC) e outros órgãos federais.

Custeado com recursos do governo federal, o Pronatec Brasil sem Miséria oferece cursos de qualificação profissional em instituições de reconhecida qualidade no ensino técnico, como o Sistema S (Senai, Senac e Sesc), além de institutos federais e redes estaduais conveniadas. A capacitação é gratuita e os beneficiários recebem ainda alimentação, transporte e todos os materiais escolares.

Mais renda para a população negra

Ainda segundo informações do Ministério do Desenvolvimento Social, nos últimos quatro anos, 4,3 milhões de famílias chefiadas por negros acessaram os programas de inclusão produtiva do Brasil Sem Miséria, que resultou no aumento médio da renda de cidadãos que tem renda mensal inferior a um salário mínimo.

"Ainda há muito trabalho pela frente, mas já temos um País menos desigual”, destacou a ministra Tereza Campello durante a apresentação dos resultados da estratégia de combate à pobreza entre negros.

 

Fonte:
Portal Planalto com informações do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome e Portal Brasil