Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2015 > 06 > Governo incentiva expansão da malha ferroviária nos últimos dez anos

Notícia

Governo incentiva expansão da malha ferroviária nos últimos dez anos

Logística e exportação

Retomada do desenvolvimento do setor ferroviário cria um eixo de interligação entre os diferentes sistemas de transportes espalhados pelo território brasileiro
por Portal Planalto publicado: 09/06/2015 10h34 última modificação: 10/06/2015 15h32

O Brasil está recuperando o tempo perdido na área de logística de transportes, com a ampliação da malha ferroviária. Somente nos últimos três anos, foram concluídos 1.088 quilômetros em linhas férreas. Trata-se de um volume duas vezes superior aos 512 quilômetros construídos em todo o intervalo de sete anos entre 1995 e 2002.

A partir da retomada do setor iniciada a partir de 2003 e fortalecida durante a presidência de Dilma Rousseff, o governo tem criado um ambiente propício para o desenvolvimento sustentável do País, com a redução nos custos de transportes de cargas e ampliação no leque de opções para escoamento da produção agrícola.

As ferrovias proporcionam interligação entre os diferentes sistemas de transportes no Brasil, resultando em uma economia mais competitiva. A Ferrovia Norte-Sul é um dos principais expoentes do setor. Com mais de 4 mil quilômetros de extensão, passará a ser a ferrovia estruturadora do Sistema Ferroviário Nacional, ao proporcionar acesso a vários portos e corredores de exportação

O desenho do projeto, concebido há quase 30 anos, prevê uma ferrovia que cortará o País de ponta a ponta e terá capacidade para interligar todas as cinco regiões brasileiras, de maneira a facilitar o transporte de cargas pelo território nacional. O primeiro de um total de cinco trechos, entre Anápolis (GO) e Porto Nacional (TO), foi inaugurado no primeiro semestre de 2014 em cerimônia com a presença da presidenta. 

“Ela será crucial para articular todos os sistemas de transporte do Brasil, tanto aqueles que se dirigem ao Sul, que são mais tradicionais, quanto àqueles que se destinarão ao Norte, e que serão o futuro se olhar a importância das hidrovias no nosso país. Essa ferrovia é uma conquista”, afirmou Dilma Rousseff durante a inauguração do primeiro de um total de cinco trechos previstos pelo projeto do empreendimento.

Novos projetos de ferrovias

O projeto da Norte-Sul foi criado na década de 1980. Desde então, o empreendimento pouco avançou, a exemplo do que ocorreu como um todo com o setor ferroviário. Voltou à mira dos investimentos a partir de 2007, enquanto o governo buscava projetos com grande potencial para destravar gargalos no setor de logística.

“Dizem que [a Norte-Sul] demorou 27 anos. É verdade, mas vou dizer o seguinte: demorava 27 anos. Hoje não demora mais", afirmou a presidenta Dilma. Com o conhecimento adquirido e o incentivo ao setor, o governo ganhou fôlego para incentivar o desenvolvimento e a implementação de novos projetos no setor ferroviário, declarou a presidenta na inauguração da primeira parte do empreendimento.

Movimentação de cargas

A inauguração do trecho marca uma nova conjuntura, com a participação crescente do setor ferroviário na matriz de transportes de cargas do País. Em 2013, o Brasil transportou 490 milhões de toneladas de cargas, de acordo com o último consolidado anual divulgado pela Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários.

A expectativa é que, até o ano de 2016, o setor alcance uma capacidade total de 550 milhões de toneladas, um crescimento de 12,5% em relação ao resultado de 2013. Somente o trecho da ferrovia inaugurado entre Anápolis e Porto Nacional responderá por um volume de de 4 mil toneladas. 

Ferrovia Norte-Sul terá a extensão de 4.155,6 quilômetros e interligará dez estados do território nacional

Fonte:

Portal Planalto, com informações do Programa de Aceleração do Crescimento, Blog do Planalto, Valec e Agência Nacional de Transportes Terrestres