Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2015 > 06 > Governo federal investe R$ 1,5 milhão na Vila Olímpica de João Pessoa (PB)

Notícia

Governo federal investe R$ 1,5 milhão na Vila Olímpica de João Pessoa (PB)

Novos equipamentos

Recursos do Ministério do Esporte irão ajudar a ampliar oferta de modalidades esportivas nas escolinhas do complexo. Local recebe atletas de base e alto rendimento, além de estar aberto à população
por Portal Planalto publicado: 05/06/2015 15h20 última modificação: 05/06/2015 15h20
Roberto Castro/Ministério do Esporte Ministro do Esporte, George Hilton, visita Vila Olímpica de João Pessoa e assina protocolo para liberar R$ 1,5 milhão da pasta para equipar o complexo

Ministro do Esporte, George Hilton, visita Vila Olímpica de João Pessoa e assina protocolo para liberar R$ 1,5 milhão da pasta para equipar o complexo

O governo federal vai investir R$ 1,5 milhão em equipamentos para a Vila Olímpica Parahyba, principal centro de João Pessoa (PB) para a prática esportiva. O complexo atenderá atletas de base e alto rendimento, além de estar aberto à população em geral. 

"Nossa ideia é fazer da Paraíba parte da Rede Nacional de Treinamento, que vai ser um legado que vamos deixar em todo o País a partir dos Jogos Olímpicos”, afirmou ministro do Esporte, George Hilton, após assinar protocolo que garante o repasse dos recursos da pasta para equipar o complexo.

Segundo informações do Ministério do Esporte, a Vila Olímpica será equipada com duas tabelas de basquete, um tapete oficial para ginástica rítmica e dez raias de 50 metros para piscina olímpica, além de tatame para judô e taekwondo.Também receberá diversos aparelhos de atletismo (peso, dardo, martelo, disco, vara em carbono, sarrafos para saltos em altura e com vara, dez blocos de partida, 30 barreiras, gaiola para arremesso e sala completa de musculação).

O secretário de Juventude, Esporte e Lazer da Paraíba, Tibério Limeira, ressaltou que os equipamentos vão ampliar oferta de modalidades disponibilizadas nas escolinhas da Vila Olímpica. “Ofertamos 18 modalidades e com a compra desses equipamentos esperamos ofertar 32 modalidades olímpicas, não-olímpicas e paraolímpicas”, afirmou. 

Atualmente, cinco mil estudantes da rede estadual e moradores da região frequentam as aulas ministradas por cem professores de segunda a sábado, das 5h às 22h. "Temos ainda tem uma pista de caminhada e diversas atividades para crianças, jovens e idosos", lembrou o secretário.

O ministro do Esporte destacou ainda a previsão de outros investimentos para o estado. “Apesar dos Jogos serem no Rio, nós estamos com um plano de legado que irá levar Centros de Iniciação ao Esporte (CIE) a todas as Unidades da Federação. A Paraíba foi contemplada com cinco CIEs. Esperamos assinar a ordem de serviço em breve com os prefeitos, para que a gente possa entregar esses centros até o início do próximo ano em todo o País."

Legado esportivo

A 427 dias dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016, um dos desafios do governo federal é fazer com que o legado do maior evento esportivo do planeta se estenda a todas as regiões brasileiras. A lista dos locais já em operação abrange centros de treinamento para o alto rendimento e categorias de base, como o Centro Pan-Americano de Judô, em Lauro de Freitas (BA), o Centro Nacional de Ginástica Artística, em São Bernardo do Campo (SP) e o Centro de Saltos Ornamentais, em Brasília (DF).

A prática do atletismo de pista também ganhou qualidade em universidades como a Federal do Maranhão (UFMA), o Parque do Campus Central da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), e a Arena Caixa, em São Bernardo do Campo (SP). Há, ainda, centros multiesportivos, como o Centro Olímpico do Espírito Santo, em Vitória (ES).

O secretário executivo do Ministério do Esporte, Ricardo Leyser, comemora o fato do legado planejado já estar em operação em diversas partes do País. “É um legado que vai passar da fronteira temporal de 2016. O que nós vemos hoje é que se beneficiam desses investimentos do Ministério do Esporte não só os atletas da elite esportiva, os da Seleção principal [...] É um legado amplo, porque está previsto para todos os estados do Brasil. Por exemplo, vamos chegar em 2016 com todos os estados brasileiros com uma pista de atletismo. É um legado que também é para todas as modalidades", assegurou.

Plano Brasil Medalhas

O legado operacional dos Jogos tem conexão direta com investimentos por parte do governo federal para colocar o Brasil entre os 10 primeiros países nos Jogos Olímpicos e entre os cinco primeiros nos Jogos Paraolímpicos. O Plano Brasil Medalhas, lançado em setembro de 2012 pela presidenta Dilma Rousseff, assegurou R$ 1 bilhão aos esportes olímpicos e paralímpicos, incluídas ações como o Bolsa Pódioque garante remuneração para atletas com potencial para conquista de medalhas em 2016.

Além do financiamento já existente ao esporte de alto rendimento, a iniciativa pretende formar novas gerações de atletas das modalidades e estruturar centros de treinamentos que atendam desde as equipes principais do alto rendimento até as categorias de base.

O balanço da ação mostra que, entre 2011 e 2013,  foram firmados 127 convênios com 40 instituições. Isto representou a movimentação de R$ 298,9 milhões, que já foram aplicados na construção, reforma e equipagem de centros de treinamento no País. Entre 2012 e 2013, o valor dos convênios firmados com clubes formadores de atletas aumentou 420%, de R$ 4,5 milhões em 2012 para R$ 23,4 milhões em 2013.

Centros de Iniciação ao Esporte

Desenvolvidos pelo Ministério do Esporte na segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), os Centros de Iniciação ao Esporte pretendem ampliar a oferta de infraestrutura de equipamento público esportivo qualificado, incentivando a iniciação esportiva em territórios de vulnerabilidade social das grandes cidades brasileiras.

O projeto integra, num só espaço físico, atividades e a prática de esportes de alto rendimento, estimulando a formação de atletas entre crianças e adolescentes. O governo federal estima contratar 269 Centros de Iniciação em diversas regiões do País, somando investimento de aproximadamente R$ 967 milhões. 

Oportunidade para as indústrias brasileiras

Além de incrementar o turismo no País, os Jogos Olímpicos Rio 2016 deverão movimentar mais R$ 1,7 bilhão até agosto do ano que vem com contratos de bens e serviços. As indústrias brasileiras representam 90% das companhias já contratadas. Empresas interessadas em oportunidades de negócio devem se cadastrar no portal de suprimentos do Jogos Olímpicos, e em seguida lançar propostas para os editais abertos. 

Para o gerente executivo de Política Industrial da Confederação Nacional da Indústria (CNI), João Emílio Gonçalves, além de lucrar com a venda de produtos para um grande comprador, ser fornecedor dos Jogos pode abrir portas para outros mercados.

“É uma oportunidade de longo prazo, pois como o comitê tem requisitos muito altos de qualidade e de sustentabilidade, a empresa que se torna fornecedora acaba se qualificando para esse padrão e isso favorece não só as vendas no Brasil, para o mercado que ela já tem, mas também para que ela seja fornecedora de outros eventos no mundo”, afirmou João Emílio.


Fontes:
Portal Planalto com informações do Ministério do EsporteBrasil 2016, Blog do Planalto e Agência Brasil