Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2015 > 06 > Enem alcança mais de 8,4 milhões de inscritos

Notícia

Enem alcança mais de 8,4 milhões de inscritos

Acesso ao ensino superior

Edição de 2015 registrou aumento de pagantes e concluintes do Ensino Médio; prazo para pagamento da taxa de inscrição termina nesta quarta-feira (10), às 21h59
publicado: 09/06/2015 18h50 última modificação: 10/06/2015 19h14
Wilson Dias/ Agência Brasil O ministro da Educação, Renato Janine, apresenta balanço das inscrições para o Enem de 2015

O ministro da Educação, Renato Janine, apresenta balanço das inscrições para o Enem de 2015

A edição de 2015 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) registrou 8.478.096 candidatos inscritos. Com o aumento do número de pagantes e concluintes do Ensino Médio -- públicos prioritários para o Ministério da Educação (MEC) --, gestores da pasta avaliaram o balanço como positivo.

“Consideramos um número muito bom. O receio de que houvesse diminuição dos inscritos em razão do aumento da taxa não procede", afirmou o ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro ao divulgar o balanço do Enem nesta terça-feira (9). A redução ficou restrita ao número de candidatos que se declaram carentes e, por isso, tiveram isenção da taxa de inscrição. 

"O que tivemos em termos de redução foi das pessoas que declaram carência e tem isenção da taxa”, afirmou o ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro. 

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), autarquia do MEC responsável pelo Enem, registrou mais de 3,4 milhões de pagantes em 2015 contra pouco mais de 3 milhões em 2014. Em relação ao número de isentos, passou de cerca 1,4 milhões para pouco mais 1,3 milhões.

“A probabilidade maior é que as pessoas que declararam carência decidiram adiar a decisão. É possível que uma parte substancial desse contingente não estava segura que iria fazer o Exame", afirmou o ministro. "Se reprovarem, podem fazê-lo de novo, mas se não vierem, podem perder a isenção. O que importa é que os isentos venham e o percentual de quem leva o Exame a sério poderá ser maior”, completou. 

Neste ano, os candidatos que obtiveram isenção da taxa e não fizerem as provas perderão o benefício na próxima edição. A novidade no edital busca reduzir os índices de abstenção e, assim, evitar o desperdício de dinheiro público. Já os candidatos pagantes têm somente até as 21h59 desta quarta-feira (10) para efetuar o pagamento da taxa de R$ 63 para obterem a confirmação. “Quanto antes pagar melhor é”, alertou Renato Janine.

O candidato deve estar atento ao horário, pois operações bancárias processadas após as 21h59 são consideradas fora do prazo. Portanto, caso isso ocorra, a inscrição não será confirmada.

Outro ponto destacado no balanço das inscrições foi o maior número de mulheres inscritas nos últimos três anos, ou cerca de 57% do total de candidatos. “Cada vez mais a presença feminina no mundo do trabalho bem qualificado e nos cargos de liderança vai ser maior. Mulheres procuram melhorar sua igualdade, mudar as relações de gênero [...]  Isso é um ritmo do mundo”, avaliou o ministro da Educação.

Destaque também para as regiões Nordeste e Norte, com respectivo alcance de 36,67% e 31,50% do total de inscrições. “Nós temos uma grande predominância nessas regiões, com grande percentual de inscritos. Este é um quadro estável no Enem. O Inep e MEC têm muita preocupação com esses dados. Isso é política pública. Precisamos conhecer aqueles que pretendem entrar na universidade”, destacou o secretário-executivo do Ministério da Educação, Luiz Cláudio Costa.

Ainda de acordo com o balanço do Enem, o percentual de negros inscritos aumentou em relação a edições passadas. Os negros representavam 53,1% dos candidatos em 2012. Neste ano, o percentual de negros inscritos no Enem ficou em 57,81%. Os dados são preliminares, só serão confirmados após o pagamento da taxa pelos candidatos.

Novidades no Enem 2015

Na edição deste ano, o Ministério da Educação adotou medidas para reduzir a abstenção, ampliar a segurança e dar mais tranquilidade aos participantes durante a aplicação das provas, nos dias 24 e 25 de outubro, além de evitar o desperdício de dinheiro público. “Não queremos apenas reduzir os custos do Enem. Queremos ter o maior número possível de participantes”, ressaltou o ministro da Educação.

Além de determinar que os candidatos isentos que não fizerem as provas perderão o benefício na próxima edição, outra novidade são os cartões de prova, a serem encaminhados exclusivamente para os endereços eletrônicos (e-mails) dos candidatos. A medida deverá representar uma economia de R$ 18 milhões para os cofres públicos, já que não haverá impressão dos cartões e envio por correio.

Os portões dos locais de prova serão abertos ao meio-dia e fechados às 13h nos dois dias do Exame. Diferente das edições passadas, neste ano as provas serão iniciadas às 13h30. Nestes 30 minutos, os malotes serão levados para as salas e serão realizados os procedimentos de segurança, como revista eletrônica. Além disso, o tempo extra permitirá que todos os participantes acomodem-se com calma e comecem as provas de forma mais concentrada.

Haverá ainda melhorias no atendimento especializado a pessoas que enxergam com apenas um dos olhos (visão monocular) e com dificuldade ou desabilidade para fazer cálculos matemáticos (discalculia). Os primeiros poderão solicitar prova com fonte ampliada ou em braile, ledor e transcritor. Já os candidatos com discalculia podem pedir ledor e transcritor.

"O Enem quer acolher a todos independente das condições que ela tem. O Exame acolhe também as deficiências mais modernas como a discalculia, nesse caso é preciso ter um laudo de uma pessoa responsável, que a qualquer momento pode ser requisitado”, explicou o presidente do Inep, Chico Soares.

O período de duração das provas permanece em quatro horas e meia no sábado e cinco horas e meia no domingo. Os candidatos sabatistas poderão optar por fazer a prova às 19h dos seus estados e os candidatos travestis e transexuais têm garantido o direito de uso nome social e uso do banheiro de acordo com a identidade de gênero, conforme estabelecido desde o último ano.

Caminho de oportunidades

Além de certificar a conclusão do Ensino Médio, os resultados do Enem poderão ser utilizados como mecanismo único, alternativo ou complementar de acesso ao Ensino Superior. O Programa Universidade para Todos (ProUni), o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) constituem o tripé de ações do governo federal para que cada vez mais brasileiros tenham acesso ao ensino superior.

O Enem é usado como critério único do Sistema de seleção Unificada (Sisu), que está com inscrições abertas até as 23h59 desta quarta-feira (10). A segunda edição deste ano oferta 55.576 vagas em 72 instituições públicas de ensino superior.

>> Saiba mais sobre a segunda edição do Sisu 2015.

Também é porta de entrada para o Programa Universidade para Todos (ProUni), que oferta bolsas de estudo integrais em instituições de ensino superior particular. A segunda edição de 2015 receberá inscrições de 16 a 18 de junho. Para participar, o candidato deve ter obtido média de 450 pontos no Exame Nacional e nota acima de zero na redação.

O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), responsável por financiar a graduação de estudantes em instituições particulares também exige dos interessados a participação no Enem. Segundo informações preliminares do Ministério da Educação, o período de inscrições da segunda etapa do programa será divulgado em breve. “Quem vai buscar o Fies, geralmente tem antes o Sisu e ProUni como primeiras opções",  lembrou Luiz Cláudio Costa.

Com o aumento do número de pagantes e concluintes do Ensino Médio - públicos prioritários para o Ministério da Educação (MEC) -, gestores da pasta avaliaram o balanço como positivo

Fonte:
Portal Planalto com informações do Ministério da Educação e Inep