Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2015 > 06 > Empresários apoiam programa de logística: 'mais empregos, produtos mais baratos e modernização do País'

Notícia

Empresários apoiam programa de logística: 'mais empregos, produtos mais baratos e modernização do País'

Programa de Investimento em Logística

Presidenta Dilma anunciou R$ 198,4 bilhões para modernização da infraestrutura de transportes do Brasil. Medida faz parte da estratégia de retomada do crescimento da economia
por Portal Planalto publicado: 09/06/2015 19h01 última modificação: 24/06/2015 16h11

“O Programa de Investimento em Logística (PIL) tem amplo apoio do setor privado, uma vez que representará mais investimentos e a modernização das instalações de infraestrutura do País, como já tem acontecido no setor de portos e aeroportos”, afirmou o vice-presidente da Associação Brasileira de Infraestrutura e Indústrias de Base (Abdib), Ralph Lima Terra.

Fundada em 1955, a Abdib congrega hoje mais de 100 empresas e concessionárias de infraestrutura, além de bancos de investimento, sendo a associação mais representativa do setor no País.

Ele e outros empresários comemoraram os R$ 198,4 bilhões anunciados para o setor pela presidenta Dilma Rousseff nesta terça-feira (9), em cerimônia realizada no Palácio do Planalto. A medida faz parte da estratégia de retomada do crescimento da economia e permitirá o aumento da competitividade dos produtos nacionais e a redução dos custos de logística para a indústria.

De acordo com Ralph Lima Terra, as novidades introduzidas na nova etapa do Programa atendem pleitos do setor empresarial e representam uma modernização em relação ao programa anterior, uma vez que permitirá a atração do mercado de capitais e de novos operadores para a área de infraestrutura.

“Procurar casar recursos do BNDES com um programa de incentivo às empresas para acessarem os mercados de capitais é extremamente benéfico. Esse instrumento é muito utilizado em países mais desenvolvidos industrialmente”, destacou.  

Na avaliação do presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson de Andrade, investimento em infraestrutura é  o que o país mais precisa hoje, sobretudo porque vai suprir os gargalos ainda existentes e atrair novos investidores.

O presidente da Associação Brasileira dos Terminais Portuários (ABTP),  WiIen Manteli, acrescentou que, com a melhoria da infraestrutura logística, será possível o barateamento dos produtos brasileiros, tornando-os mais competitivos em âmbito nacional e internacional.

"Tendo uma estrutura de transporte, rodovia, ferrovia e hidrovia, esses três segmentos, principalmente, atraem o setor produtivo, indústrias, e se criam parques industriais. O PIL significa mais emprego para o cidadão, para o filho dele, produtos mais baratos para a dona de casa, o que gera mais arrecadação e mais recursos para o Estado poder fazer toda a sua política pública”, explicou.

"O PIL significa mais emprego para o cidadão, para o filho dele, produtos mais baratos para a dona de casa, o que gera mais arrecadação e mais recursos para o Estado poder fazer toda a sua política pública", afirmou  o presidente da ABTP, WiIen Manteli. 

Escoamento da produção agrícola

Já para o presidente da Sociedade Nacional de Agricultura, Antonio Alvarenga, o PIL representa a retomada de investimentos necessários para o desenvolvimento do país. No que diz respeito à agricultura, Alvarenga salientou que o programa vai melhorar o escoamento da produção agrícola, acompanhando o rápido crescimento do setor nos últimos anos.  

No período de 2000 a 2014, a produção de grãos no país cresceu 129,8%, uma média de crescimento anual de 6,2%. “Para a agricultura, esse plano representa redução dos custos de transporte para levar a safra das regiões produtoras para os portos de exportação”, assegurou.

Avaliação dos gestores públicos

O governador do Maranhão, Flávio Dino, destacou a importância da iniciativa do governo federal em desenvolver o Programa em parceria e diálogo com o setor privado para fortalecer o desenvolvimento regional.

“É muito importante para o Brasil que, nesse momento, haja conjugação do trabalho do setor público, de planejamento e oferta de bons projetos, com a animação e o envolvimento do setor privado. Agradou-me muito a reafirmação desse modelo de desenvolvimento”, apontou.

O secretário de Transportes do Rio de Janeiro e presidente do Conselho Nacional dos Secretários de Transporte, Carlos Roberto Osório, afirmou que a nova etapa do PIL será essencial para a retomada do crescimento do país e para o fortalecimento das economias regionais.

“Os estados saíram daqui muito contentes. Nós receberemos  investimentos em concessões já existentes, que significam investimentos imediatos, e teremos novas concessões de rodovias, ferrovias, portos e aeroportos”, salientou. 

Fonte:

Portal Planalto