Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2015 > 06 > Brasil e Equador debatem parceria em defesa cibernética e investigação de acidentes aéreos

Notícia

Brasil e Equador debatem parceria em defesa cibernética e investigação de acidentes aéreos

Relações Bilaterais

Ministros da Defesa dos dois países se encontram no Brasil para tratar temas de interesse comum às duas nações sul-americanas
por Portal Planalto publicado: 08/06/2015 19h17 última modificação: 08/06/2015 19h19
Tereza Sobreira Jaques Wagner (esquerda) recebe o ministro da Defesa equatoriano Fernando Cordero Cuevas na sede da pasta em Brasília

Jaques Wagner (esquerda) recebe o ministro da Defesa equatoriano Fernando Cordero Cuevas na sede da pasta em Brasília

Os ministros da Defesa do Brasil e Equador se reuniram nesta segunda-feira (8) para tratar de parcerias na áreas de defesa cibernética e investigação de acidentes aéreos. Jaques Wagner recebeu o contraparte equatoriano Fernando Cordero Cueva na sede do ministério, em Brasília (DF).

O comandante da Aeronáutica, brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato, ofereceu aos equatorianos a possibilidade de realização de treinamento no Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), órgão nacional que investiga as causas dos acidentes aéreos no País. Já o comandante do Exército, general Eduardo Dias Villas Bôas, deixou as portas abertas do Centro de Defesa Cibernética para que os vizinhos da América do Sul conheçam as instalações.

De acordo com o ministro Cordero Cueva, esta é uma temática “cada vez mais urgente”, uma vez que o Equador não possui um consenso sobre qual órgão ou instituição deva cuidar da questão. “Ainda é algo difuso. Precisaríamos desenvolver uma escola de defesa cibernética”, reiterou.

O ministro Cueca disse ainda que o presidente do Equador, Rafael Correa, está empenhado em desenvolver cooperação com o Brasil, em vários assuntos.

Esude

Durante a reunião, Jaques Wagner agradeceu o apoio que o Equador vem dando à Escola Sul-Americana de Defesa (Esude), localizada na capital Quito. Ele prometeu conhecer, em breve, a instituição.

O ministro da defesa equatoriano lembrou que, agora com o professor brasileiro Antonio Jorge Ramalho na secretaria-geral da Esude, “a expectativa é de que possamos chegar a conceitos comuns de integração sul-americana”. O ministro brasileiro enfatizou que as relações bilaterais serão incrementadas com o novo secretário-geral.

A instalação da Esude foi um dos atos principais de celebração do oitavo aniversário da criação da União das Nações Sul-Americanas (Unasul), órgão idealizado para promover a integração na região em matéria política, social, econômica, ambiental e de infraestruturas.

Fonte:

Portal Planalto, com informações do Ministério da Defesa