Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2015 > 05 > Valorização do salário mínimo permitirá ampliação ainda maior do poder de compra

Notícia

Valorização do salário mínimo permitirá ampliação ainda maior do poder de compra

Direito do Trabalhador

Poder de compra do salário mínimo em janeiro de 2015 foi o maior desde agosto de 1965, superado apenas pelo registrado no período entre julho de 1954 e julho de 1965, segundo Banco Central
por Portal Planalto publicado: 04/05/2015 13h24 última modificação: 04/09/2015 12h39
Roberto Stuckert Filho/PR Política de valorização do mínimo foi transformada em lei em 2011

Política de valorização do mínimo foi transformada em lei em 2011

Estendido até 2019, o compromisso do Governo Federal de valorização do salário mínimo deve ampliar ainda mais o poder de compra dos trabalhadores em geral e dos beneficiários da Previdência Social. De 2011 – ano em que a política de valorização do salário mínimo foi transformada em lei – até o momento atual, o salário mínimo no país registrou crescimento de 14,9% acima da inflação, o que representa importante benefício para os trabalhadores.

Para se ter uma ideia do que isso representa basta fazer um comparativo sobre a aquisição de cestas básicas nos últimos anos: em 2002, por exemplo, um salário mínimo adquiria 1,42 cestas; em 2010, comprava 2,06 cestas básicas; e, no ano de 2014, ele permitiu a compra de 2,10 cestas básicas, segundo o Dieese. Já em março deste ano, o salário mínimo permitiu a compra de 2,20 cestas básicas.

Acesse aqui a página especial do Portal Planalto sobre o Dia do Trabalho

O poder de compra do salário mínimo em janeiro de 2015 também foi considerado o maior desde agosto de 1965, superado apenas pelo registrado no período de julho de 1954 a julho de 1965, segundo boletim divulgado pelo Banco Central, em fevereiro desse ano. O salário mínimo tem determinado parte do crescimento do rendimento médio dos trabalhadores ocupados que, entre 2003 e 2014, aumentou 52% a mais do que o mínimo.

Atualmente, o valor do mínimo é de R$ 788. O reajuste de 8,84% no salário, comparado ao valor de 2014, garantiu um incremento de R$ 38,4 bilhões para a economia, e um impacto muito importante para as 46,7 milhões de pessoas que têm rendimento referenciado no salário mínimo.

“Nos últimos anos, o aumento real do salário mínimo foi de 74%”, lembrou o ministro Miguel Rossetto, da Secretaria-Geral. “Com isso, a presidenta cumpre compromisso de campanha e melhora a renda de mais de 45 milhões de trabalhadores e aposentados do país”.

Desde 2008, o salário mínimo é reajustado anualmente no mês de janeiro, calculado com base no crescimento do Produto Interno Bruto (PÌB) de dois anos anteriores, e a inflação pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do ano anterior.

Fonte:
Portal Planalto, com informações do Banco Central e do Ministério do Trabalho