Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2015 > 05 > Ponte entre Brasil e Uruguai será o primeiro Patrimônio Cultural do Mercosul

Notícia

Ponte entre Brasil e Uruguai será o primeiro Patrimônio Cultural do Mercosul

Reconhecimento binacional

Presidenta Dilma Rousseff afirmou que o edital de restauração da Ponte Internacional Barão de Mauá deverá ser publicado em setembro
por Portal Planalto publicado: 27/05/2015 20h13 última modificação: 30/05/2015 16h06
Divulgação/Iphan Reconhecimento binacional faz com que Uruguai e Brasil façam a gestão comum do bem

Reconhecimento binacional faz com que Uruguai e Brasil façam a gestão comum do bem

Durante encontro com o presidente do Uruguai, Tabaré Vasquez, na última semana, a presidenta Dilma Rousseff afirmou que o edital de licitação para a restauração da Ponte Internacional Barão de Mauá deverá ser publicado até setembro deste anoA edificação, que está localizada sobre o rio Jaguarão, entre as cidades de Jaguarão (Rio Grande do Sul) e Rio Branco (Uruguai), será o primeiro bem a ser reconhecido como Patrimônio Cultural do Mercosul.

O evento que celebra a Ponte Barão de Mauá como primeiro bem binacional acontece no sábado (30), durante o encerramento da XI Reunião da Comissão de Patrimônio Cultural do Mercosul, realizada desde terça-feira (26) em Jaguarão (RS). O edital de setembro também prevê a construção de outra ponte, que ampliará o intercâmbio comercial e turístico entre Brasil e Uruguai.

"A restauração da Ponte Internacional Barão de Mauá permitirá a preservação de um patrimônio histórico extremamente importante. E sem sombra de dúvida, a construção de uma segunda ponte oferecerá canal adicional para transporte de pessoas e mercadorias", afirmou a presidenta.

O reconhecimento binacional faz com que Uruguai e Brasil compartilhem a administração da ponte. A intenção é que gestão comum impulsione o Patrimônio Cultural como ferramenta para inclusão social e para o desenvolvimento da região. 

Livro
Durante a cerimônia de reconhecimento patrimônio, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) lançará o livro "Ponte Internacional Barão de Mauá", em parceria com a Comisión de Patrimonio Cultural de la Nación/Uruguai.

Apresentada em inglês e espanhol, a publicação detalha a justificativa da candidatura da ponte para ser Patrimônio Cultural do Mercosul, além de ficha técnica, história, instrumentos de proteção do Uruguai e do Brasil e proposta de gestão. O dossiê vai ser apresentado com a entrega oficial do Certificado de Patrimônio Cultural do Mercosul às autoridades brasileiras e uruguaias presentes. 

História
A Ponte Internacional Barão de Mauá foi construída entre 1927 e 1930 para ligar o Brasil ao Uruguai. A construção, que passa sobre o Rio Jaguarão, entre Rio Branco (Uruguai) e Jaguarão (Brasil), foi a primeira entre os países e teve o objetivo de aproximá-los nos setores político, econômico e cultural.

A ponte foi financiada pelo Uruguai em decorrência de uma dívida de guerra com o Brasil.  Em 1977, a construção foi declarada Monumento Histórico Nacional pelo Uruguai, e em 2011 foi tombada pelo Iphan.

Encontro
A Reunião da Comissão de Patrimônio Cultural do Mercosul acontece a cada seis meses, com um revezamento dos países membros do bloco como presidentes temporários, e tem o objetivo de utilizar a questão da cultura como ferramenta para favorecer o diálogo e a integração regional. O primeiro semestre de 2015 teve o Brasil como presidente. 

Nesta quarta-feira (26), a programação do encontro incluiu sessões para avaliação das Missões Jesuítas Guaranis, Moxos e Chiquitos e da pajada, forma de poesia improvisada vigente na Argentina, no Uruguai, no Chile e no sul do Brasil. A análise deverá concluir se estes bens serão reconhecidos como Patrimônio Cultural do Mercosul.

Fonte:
Portal Planalto, com informações do Blog do Planalto, do Ministério da Cultura e do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional