Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2015 > 05 > Exportações do Brasil para o Vietnã aumentam 244% em quatro anos

Notícia

Exportações do Brasil para o Vietnã aumentam 244% em quatro anos

Agenda bilateral

Presidenta Dilma Rousseff recebe no Palácio do Planalto a vice-presidenta do Vietnã, Nguyen Thi Doan, para tratar de temas como comércio, investimento e cooperação nas áreas de defesa, educação e energia
por Portal Planalto publicado: 15/05/2015 12h59 última modificação: 15/05/2015 13h05
Vice-presidenta do Vietnã está entre autoridades que visitaram Brasil desde que países iniciaram relações, em 1989

Vice-presidenta do Vietnã está entre autoridades que visitaram Brasil desde que países iniciaram relações, em 1989

Os números da balança comercial entre Brasil e Vietnã revelam o potencial de expansão das trocas entre os dois países. As exportações do Brasil para o Vietnã saltaram de US$ 463 milhões em 2010 para US$ 1,59 bilhão em 2014, alta de 243,8% em quatro anos, segundo indicadores do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e do Itamaraty. 

A presidenta Dilma Rousseff recebeu na manhã desta sexta-feira (15) no Palácio do Planalto a vice-presidenta do Vietnã, Nguyen Thi Doan. No encontro elas trataram de assuntos como comércio, investimento e cooperação nas áreas de defesa, educação e energia.

O Vietnã era, até 2012, o 11º parceiro comercial do Brasil na Ásia e Oceania e o 5º na Associação de Nações do Sudeste Asiático (Asean), quando representava 13,8% dos fluxos comerciais do Brasil com o grupo. 

A boa relação entre Brasil e Vietnã se reflete na grande quantidade de visitas –- as mais altas autoridades do país asiático já estiveram o Brasil. Em 2012, por exemplo, os governos do Brasil e do Vietnã reforçaram a parceria na luta contra a fome e a pobreza com assinatura do plano de cooperação entre o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) e o Ministério do Trabalho, Inválidos e Assuntos Sociais vietnamita.

O plano de ação foi decorrente de memorando de entendimento sobre a luta contra a fome e a pobreza, assinado entre o Brasil e o Vietnã em 2008.

Brasil e Vietnã contam com dois mecanismos regulares de diálogo: Reuniões de Consultas sobre Assuntos de Interesse Comum (Consultas Políticas) e a Comissão Mista. Além disso há o Grupo de Amizade Parlamentar Vietnã-Brasil, criado em 2005.

Estão em vigor atualmente acordos com o governo do Vietnã em áreas de saúde e ciências médicas, cooperação técnica para produção e uso de etanol combustível, cooperação científica e tecnológica, luta contra a fome e a pobreza e cooperação esportiva.

Brasil e Vietnã têm cooperado ainda em foros multilaterais, como o apoio oficial do Vietnã a um assento permanente para o Brasil em um Conselho de Segurança das Nações Unidas reformado.

Relações entre dois países iniciaram há 26 anos

Com uma população de quase 90 milhões e em pleno processo de urbanização, o Vietnã é considerado um mercado atrativo, com grande potencial de crescimento.  

As relações diplomáticas entre Brasil e Vietnã foram estabelecidas em 1989, três anos após abertura econômica do país asiático, que vem apresentando taxas de crescimento superiores a 5%. Em menos de 20 anos de início de relações com outros países, o Vietnã deixou de ser um dos mais pobres do mundo para se estabelecer como um dos principais produtores e exportadores de arroz e café. 

A Embaixada do Brasil em Hanói foi aberta em 1994, e o Vietnã estabeleceu Embaixada em Brasília em 2000. As principais exportações do Brasil para o país asiático são cereais e soja, além de outras commodities como algodão.

Fonte: 

Portal Planalto com Ministério das Relações Exteriores e Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior