Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2015 > 05 > Brasil sem Miséria é destaque no Fórum Mundial da Educação na Coreia do Sul

Notícia

Brasil sem Miséria é destaque no Fórum Mundial da Educação na Coreia do Sul

Relações internacionais

Ministro da Educação, Renato Janine, destaca que países estão interessados em saber como o Brasil conseguiu reduzir a miséria com cooperação em ações de educação, saúde e desenvolvimento social
por Portal Planalto publicado: 19/05/2015 18h19 última modificação: 22/05/2015 18h33
Paula Filizola/Ministério da Educação Renato Janine e o vice primeiro-ministro da Coreia do Sul e ministro da Educação, Woo Yea Hwang

Renato Janine e o vice primeiro-ministro da Coreia do Sul e ministro da Educação, Woo Yea Hwang

“Muitos países estão interessados em saber como o Brasil conseguiu a redução da miséria na cooperação entre ações de educação, saúde e sobretudo do desenvolvimento social”, afirmou o ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, nesta terça-feira (19), após abertura do Fórum Mundial da Educação na Coreia do Sul.

“No Brasil hoje, a miséria está equilibrada, em todas as faixas, em 1%”, afirmou sobre os resultados do Plano Brasil sem Miséria, lançado em 2011 e responsável por tirar 22 milhões de brasileiros da extrema pobreza. “É um ganho enorme se pensamos que há 13 anos atrás as crianças de 5 a 15 anos eram 12% nessa faixa; e as crianças de 0 a 5 eram quase 10%, e hoje é apenas 1%.”

Renato Janine é um dos convidados do Fórum promovido pela Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco), que termina na sexta-feira (22). O objetivo do evento é promover a convergência de ideias e metas globais de educação até 2030.

Já antes da abertura do evento, Renato Janine participou de reunião com ministros de Estado de dez países, e personalidades como o ativista indiano Kailash Satyarthi, vencedor ao lado da paquistanesa Malala Yousafzai do Prêmio Nobel da Paz de 2014, por trabalharem pela educação de crianças e jovens. Também se encontrou com o Nobel de Economia de 2000, o norte-americano James Heckman, que fez elogios ao Brasil pelo trabalho na reversão de investimentos da educação superior para a educação básica.

O primeiro dia do Fórum Mundial de Educação.

Posted by Renato Janine Ribeiro on Terça, 19 de maio de 2015

O ministro ainda falou sobre a importância do programa Brasil Carinhoso e da construção de creches. “Fico feliz em dizer que, apesar do ajuste financeiro, autorizei a construção de cerca de 300 novas creches.

Com música coreana tradicional, a abertura oficial do Fórum Mundial da Educação contou com a participação secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, da presidenta do país anfitrião, Park Geun-hye, da diretora-geral da Unesco, Irina Bokova, e do diretor executivo do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), Anthony Lake, entre outros representantes de organismos internacionais. 

Após a cerimônia, Renato Janine conversou com o ministro da Educação do Peru, Jaime Saavedra, sobre escolas instaladas em florestas. “Eles [peruanos] têm escolas na floresta amazônica e queriam saber como nós fazemos”, disse o ministro brasileiro. Segundo ele, o representante peruano também buscou referências brasileiras em relação a regulação do ensino superior e esporte nas escolas.

Educação para o desenvolvimento sustentável

Ainda no evento, o ministro Renato Janine participará na sexta (22) do painel “Como a educação pode contribuir para o desenvolvimento sustentável pós-2015”, um dos momentos mais importantes do Fórum. “Essa contribuição que o Brasil dá agora tem que crescer com a gente fortalecendo a qualidade da nossa educação.”

Os participantes do painel devem abordar como a educação pode enfrentar os desafios globais, com foco especial em como a educação contribui para combater as alterações climáticas, a saúde e a redução da pobreza. 

O Fórum Mundial da Educação promoverá um balanço dos progressos alcançados ao longo dos últimos 15 anos deve resultar em um roteiro para enfrentar os desafios pós-2015, no âmbito dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) a serem adotados pelas Nações Unidas em setembro.

Fonte:
Portal Planalto com informações do Ministério da Educação, Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome e Unesco