Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2015 > 05 > Brasil garantirá 6 mil toneladas de arroz para Gaza em 2015

Notícia

Brasil garantirá 6 mil toneladas de arroz para Gaza em 2015

Cooperação humanitária

Com a doação, governo consolida participação em Comitê das Nações Unidas para os refugiados palestinos. País é o primeiro da América Latina e do Brics a ter assento no órgão intergovernamental
por Portal Planalto publicado: 07/04/2015 09h00 última modificação: 04/09/2015 09h01

O ministro Milton Rondó Filho, coordenador-geral de Ações Internacionais de Combate à Fome do Ministério das Relações Exteriores, anunciou que o Governo Federal doará pelo menos mais 6 mil toneladas de arroz para Gaza. O valor da ajuda chega a US$ 2,4 milhões, o equivalente a cerca de R$ 7,2 milhões.

Segundo o ministro, no último ano o País conseguiu garantir todo o consumo da Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados Palestinos (UNRWA) com a doação de cerca de 11,5 toneladas de arroz (com valor agregado de US$ 9 milhões, cerca de R$ 27,1 milhões). “O Brasil tem enorme responsabilidade por toda a questão. Temos tentado contribuir minimamente para que esse sofrimento possa ser minorado”, afirmou Rondó.

O anúncio foi dado durante a primeira visita do comissário-geral da UNRWA, Pierre Krähenbühl, ao Brasil. Em coletiva no Itamaraty nesta quinta-feira (14), ele afirmou que atualmente 5 milhões de refugiados da Palestina e outros locais no Líbano, Síria, Jordânia, Gaza e Cisjordânia, dependem de ajuda humanitária e o governo brasileiro está interessado e engajado nas questões relativas a direitos humanos, educação e segurança alimentar.

Pierre Krähenbühl destacou que “o Brasil é o primeiro país latino-americano e do Brics” a participar da comissão de mais alto nível da UNRWA. Com as doações, o Governo deu um importante passo para participar da Advisory Commission (AdCom), órgão que aconselha a agência da ONU sobre suas principais decisões estratégicas.

Desde 2014, o Brasil é membro do Comitê Consultivo da UNRWA, atualmente com 27 membros e três observadores. São membros: Alemanha, Arábia Saudita, Austrália, Bélgica, Brasil, Canadá, Dinamarca, Egito, Emirados Árabes Unidos, Espanha, Estados Unidos, Finlândia, França, Irlanda, Itália, Japão, Jordânia, Kuwait, Líbano, Luxemburgo, Noruega, Países Baixos, Reino Unido, Suécia, Suíça, Síria e Turquia. Palestina, União Europeia e Liga Árabe são observadores.

Com centenas de escolas, clínicas, centros de distribuição de alimentos, a Agência das Nações Unidas dá assistência aos refugiados da Palestina há mais de 60 anos. Os programas abrangem as áreas de educação, saúde, serviços sociais, microfinanças, assistência de emergência bem, além de melhorias na infraestrutura e condições dos campos de refugiados.

Apoio a operações
Além da doação de 11,5 toneladas de arroz, que teve uma parte destinada ao programa alimentar de emergência em 2014, o Brasil já colaborou financeiramente com US$ 9 milhões (cerca de R$ 27,2 milhões) desde 2011. O apoio ajuda a manter os serviços sociais em Gaza confiáveis e ágeis, contribuindo com os cuidados de saúde, educação e assistência alimentar.

Em março deste ano, o governo brasileiro doou 35 caixas de suprimentos médicos, contendo antibióticos, remédios para diabetes e hipertensão arterial e materiais descartáveis, contribuindo com a assistência médica básica para os refugiados da Palestina em Gaza.

As doações antes da guerra permitiu atender a necessidade por alimentos de grande parte dos habitantes, submetidos a bombardeio feroz durante a operação militar israelense. Os medicamentos e suprimentos hospitalares contribuem para melhor atender a população que sofre com o bloqueio israelense que já dura mais de sete anos e limita o acesso a tratamentos adequados de saúde.

Fonte:
Portal Planalto com informações do Ministério das Relações Exteriores e UNRWA