Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2015 > 04 > Governo Federal apoia atendimento a famílias em áreas de risco em Salvador

Notícia

Governo Federal apoia atendimento a famílias em áreas de risco em Salvador

Reconstrução

Ministro Gilberto Occhi sobrevoou áreas atingidas por temporal. Ações levarão em conta a busca de vítimas, remoção de famílias em área de risco e identificação de obras de recuperação
por Portal Planalto publicado: 28/04/2015 18h32 última modificação: 29/04/2015 17h54

O Governo Federal irá adotar três frentes de ação de apoio à população de Salvador (BA) atingida pelas fortes chuvas da última segunda-feira (27): busca de vítimas, remoção de famílias ainda em área de risco e a identificação de obras de recuperação e proteção.

 Nesta terça-feira (28), foram encontradas mais duas vítimas entre os escombros, totalizando 15 óbitos em decorrência do deslizamento de terra em diferentes bairros da capital baiana. Somente na segunda-feira, a Defesa Civil de Salvador registrou 316 ocorrências por causa das chuvas. Até o início da tarde de terça-feira, o órgão havia registrado 265 ocorrências, incluindo 147 deslizamentos de terra, 17 alagamentos e 21 desabamentos de imóveis e muros.

 Na manhã desta terça, o ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi, esteve em Salvador e se reuniu com o prefeito da cidade, ACM Neto, o governador da Bahia, Rui Costa, Corpo de Bombeiros e representantes da defesa civil federal, estadual e municipal. Em um sobrevoo pelas áreas atingidas foram identificadas mais áreas de risco que demandam atenção.

 "Identificamos todas as áreas com deslizamentos e soterramento de moradias e pessoas. Também verificamos que existem outras moradias com risco muito grande", afirmou o ministro. "Temos de retirar essas famílias sob pena de ter nos próximos dias a possibilidade de um novo óbito. O trabalho que está sendo feito neste momento é identificar soluções de proteção para esses locais. A partir daí, teremos a identificação das obras necessárias e como tratá-las", completou.

Segundo levantamento feito pela prefeitura de Salvador, foram detectadas pelo menos dez áreas críticas. As famílias que estão nestes locais, de acordo com o governo, precisam ser removidas, porque há risco de desabamentos.

O Exército Brasileiro, já destacado para auxiliar na identificação de possíveis intervenções urbanas, também será acionado para auxiliar na remoção e na mudança das famílias que vivem em área de risco para outras residências ou abrigo municipal. As famílias atingidas pelo temporal irão receber kits humanitários (cesta básica e água potável), de higiene e limpeza para começarem a retomar suas vidas.  "A determinação do governo é convencer e também proporcionar a essas pessoas segurança de suas vidas e de seus patrimônios, além de dar condição de moradia enquanto a situação não for resolvida", disse Occhi.

A terceira frente de ação do Governo Federal envolve a reconstrução de residências. Segundo Occhi, será identificado um possível empreendimento do Minha Casa, Minha Vida que já esteja pronto ou próximo de ser entregue para priorizar o atendimento das famílias que tiveram de deixar suas casas por conta do desastre natural. "Tivemos tornado em Santa Catarina, enchentes na região Norte, chuva aqui na Bahia, seca no Nordeste, mas o Governo Federal, a defesa civil e os órgãos municipais têm procurado dar resposta o mais rapidamente possível para a população brasileira", salientou o ministro.

De acordo com Occhi, Salvador recebeu nos últimos anos cerca de R$ 300 milhões para obras de infraestrutura, principalmente para aquelas que preveem a contenção e proteção de encostas. Ainda segundo o titular da pasta, a Prefeitura municipal e o governo do estado têm realizado um total de 153 intervenções de proteção e contenção de encostas com verba destinada pelo Governo Federal.

 
Fonte:
Portal Planalto, com informações do Ministério da Integração Nacional e Agência Brasil