Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2015 > 04 > Dilma: educar é o único jeito de assegurar que a inclusão social seja permanente

Notícia

Dilma: educar é o único jeito de assegurar que a inclusão social seja permanente

Presidenta participou do Foro Empresarial das Américas ao lado de representantes internacionais. Evento no Panamá antecede abertura da 7ª Cúpula das Américas
por Portal Planalto publicado: 10/04/2015 22h14 última modificação: 14/04/2015 19h09

“Educar é o único jeito de assegurar que a transformação e a inclusão social sejam permanentes”, afirmou a presidenta Dilma Rousseff durante um painel do Foro Empresarial das Américas – Unindo as Américas: Integração Produtiva para o Desenvolvimento Inclusivo.

O evento, que antecede a abertura da 7ª Cúpula das Américas, aconteceu nesta sexta-feira (10), na cidade do Panamá. Participaram também do encontro o presidente, Barack Obama, dos Estados Unidos, Enrique Peña Nieto, do México, e Juan Carlos Varela, do Panamá. 

Em sua apresentação, Dilma destacou que a acelerada inclusão social que aconteceu no Brasil, nos últimos anos, teve como base o crescimento econômico e as políticas sociais.

“Mas hoje nós temos um desafio, justamente porque 44 milhões de brasileiros foram elevados à classe média e 36 milhões saíram da pobreza, nós temos de seguir crescendo de forma sustentável, contínua e sistemática”, complementou.

Para continuar crescendo, a presidenta afirmou que o País seguirá investindo em infraestrutura, educação e inovação, além de buscar ampliar a integração comercial e de infraestrutura.

 “A educação junta dois caminhos: a inclusão social, a necessidade de garantir que essas pessoas que melhoraram de renda não voltem atrás, não percam o que conquistaram. E depois, um país com 200 milhões de habitantes, como o Brasil, só terá sustentabilidade se tiver uma agricultura, uma indústria e todo um setor de serviços baseado em tecnologia e inovação. E isso é dado pela educação."

Integração regional

De acordo com a presidenta, o Brasil se dedicou, nos últimos anos, a investir fortemente na integração regional de infraestrutura. Ela destacou ainda que o momento exige um olhar mais enfático dos países das Américas para a questão.

“Essa integração de infraestrutura tem de levar também à busca de uma maior expansão comercial, de uma maior abertura comercial e, também, de uma abertura grande aos investimentos inter-regionais."

Neste sentido, Dilma elencou iniciativas bilaterais de sucesso concretizadas entre o Brasil e outros países do continente, como Argentina, Uruguai, Paraguai, Cuba, México e Nicarágua.

O Foro Empresarial das Américas faz parte da programação da VII Cúpula das Américas, que acontece nesta sexta-feira (10) e sábado (11), no Panamá.

 

Fonte:
Portal Planalto