Notícias

Ajuda humanitária

Com apoio, imigrantes venezuelanos conseguem reconstruir vida no Brasil

publicado: 21/06/2018 10h00, última modificação: 21/06/2018 15h44
Bases de acolhimento em Boa Vista e Pacaraima serão visitadas pelo presidente da República, Michel Temer, nesta quinta-feira (21)
Com apoio, imigrantes venezuelanos conseguem reconstruir vida no Brasil

Cerca de 400 imigrantes venezuelanos chegam diariamente ao País - Foto: Divulgação/ONU

Para atender os cerca de 400 imigrantes venezuelanos que chegam diariamente ao País, o Governo do Brasil investe na Operação Acolhida, força-tarefa que oferece triagem, abrigo, alimentação, atendimento médico e melhores condições para aqueles que precisam de apoio para recomeçar. Atualmente, há cerca de 4,2 mil pessoas abrigadas. 

As bases da ação de Boa Vista e Pacaraima, em Roraima, recebem visita do presidente da República, Michel Temer, nesta quinta-feira (21). Temer inspecionará o posto ampliado de triagem de Pacaraima, onde ocorrem ações de identificação e imunização de imigrantes, e o abrigo Nova Canaã, em Boa Vista. 

Acompanhar ações nos nove abrigos criados para receber os venezuelanos é o principal objetivo da agenda do presidenteEm fevereiro, em outra visita ao estado, diante da intensificação do fluxo migratório, Temer decidiu ampliar a atuação do Governo do Brasil por meio da criação de um comitê interministerial, coordenado pela Casa Civil, e da liberação de R$ 190 milhões para as ações. Com os recursos, foram abertas cinco estruturas de acolhimento e reformados outros quatro abrigos. Mais quatro unidades devem ser instaladas.

 

Construção

Com o apoio das ações, seja para os que estão de passagem ou para os que querem continuar no Brasil, pessoas como Dionis Friol podem apostar em um novo destino. "Estava desempregado na Venezuela, agora tenho emprego e posso comprar o que minha família necessita", emociona-se o soldador, que atualmente trabalha na construção de uma igreja em Boa Vista. 

Há três meses no Brasil, ele voltou à Venezuela para buscar esposa e os três filhos depois de conseguir uma vida mais estável com o apoio da ajuda humanitária. "Agora é lutar para trabalhar duro, seguir adiante e ter uma família feliz, porque merecemos ser felizes”, planeja. 

Apoio

Parceria do Governo do Brasil com o governo de Roraima, prefeituras municipais e com o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) permite o atendimento aos imigrantes. O Exército Brasileiro, além de montar as tendas, distribui as refeições, auxilia na estrutura de saúde e faz o controle de acesso aos abrigos. Todos os venezuelanos com interesse em permanecer no Brasil serão registrados pela Polícia Federal e cadastrados pela Organização das Nações Unidas (ONU).Atualmente, há 3,7 mil pessoas nos oito abrigos de Boa Vista e outras 500 em Pacaraima, na fronteira com a Venezuela. 

Com apoio, imigrantes venezuelanos conseguem reconstruir vida no Brasil

"Desenvolvemos a construção de novos abrigos, melhoria das construções existentes, fornecimento de alimentação, apoio sanitário e de saúde e também de segurança”, afirma o tenente-coronel Rodrigo de Lima Gonçalves, assessor da força-tarefa logística da Operação Acolhida. Desde o início da operação, já foram interiorizados 527 imigrantes em Manaus (AM), Cuiabá (MT) e São Paulo (SP).

A Receita Federal também emitirá CPF dos imigrantes, para que possam posteriormente solicitar carteira de trabalho. Antes, o trabalho de regularização era feito apenas na Superintendência da Polícia Federal em Boa Vista. 

Fonte: Planalto, com informações da NBR

Reportar erro
Assunto(s): Cidadania