Notícias

Produtores

Aliada da economia, agricultura familiar ajuda no controle da inflação, diz Temer

publicado: 26/06/2018 18h38, última modificação: 26/06/2018 20h47
Safra 2018/2019 terá R$ 31 bilhões, valor maior que o do período anterior. Governo também reduziu juros das operações de crédito
Temer afirma que agricultura familiar é aliada da economia e do controle da inflação

Presidente Temer assinou medida prevendo aumento de recursos para a agricultura familiar - Foto: Alan Santos/PR

Determinante para a segurança alimentar do País, o Plano Safra da Agricultura Familiar 2018/2019 colabora para a recuperação da economia e é determinante para o controle da inflação, afirmou nesta terça-feira (26) o presidente da República, Michel Temer. Para o próximo período, haverá a oferta de R$ 31 bilhões em crédito rural para esses trabalhadores – R$ 1 bilhão mais que na safra passada.

Na visão do presidente, a agricultura familiar também é fonte de empregos e dignidade para os brasileiros. "Tem peso decisivo no abastecimento do mercado interno, põe comida na mesa de todos os brasileiros e é dos nossos maiores aliados no combate à inflação”, afirmou. Segundo o presidente, esse plano safra reafirma o compromisso do governo com milhões de brasileiros que trabalham na agricultura familiar.

Além da maior oferta de crédito e da redução de juros, o novo Plano Safra traz outras medidas para fortalecer a agricultura familiar. “[São] 10 ações concretas para ajudar o pequeno agricultor a ter mais eficiência, ter mais oportunidade de negócios, com os juros mais baixos do mercado. Isso é essencial”, afirmou.

Ações 

  • Uso de no mínimo 30% dos recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) para compra de alimentos da agricultura familiar;
  • R$ 31 bilhões em crédito rural subsidiado;
  • Acordo com a Associação Brasileira de Supermercados (Abras) para que estabelecimentos tenham gôndolas e áreas separadas para alimentos do setor; 
  • Acordo com o Ministério do Turismo para incentivo do turismo rural por meio de qualificação e assistência técnica;
  • Promoção de desenvolvimento rural sustentável, com apoio do Ministério do Meio Ambiente, para incluir povos tradicionais;
  • Inclusão e incentivo de produtos de pescadores artesanais e aquicultores no programa de alimentação escolar;
  • Redução dos juros;
  • Aumento do limite de renda para ter acesso a crédito;
  • Financiamento para motocicletas no âmbito da agricultura familiar;
  • Assistência técnica para garantir a sucessão rural.

Fonte: Planalto, com informações da Sead

Reportar erro
Assunto(s): Economia e Finanças