Notícia

PIS/Pasep

Para ministro do Planejamento, antecipação de saques fortalece a retomada do crescimento

publicado: 28/09/2017 19h21, última modificação: 26/02/2018 12h28
Titular da pasta, Dyogo Oliveira acredita que os recursos vão aumentar o consumo e aliviar dívidas dos beneficiados
Antecipação de saques vai fortalecer processo de retomada, diz ministro do Planejamento

Calendário de saque do PIS/Pasep foi anunciado nesta quinta-feira (28) - Foto: Beto Barata/PR

O processo de retomada do crescimento do Brasil fica fortalecido com a antecipação do saque do PIS/Pasep. Com a previsão da injeção de R$ 15,2 bilhões na economia, haverá aumento do consumo, pagamento de dívidas e atendimento de necessidade dos idosos, avalia ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira.

Para ele, a medida tem impacto “relevante” na economia e na vida dos beneficiados. “É uma medida que tem muita importância e que vai ajudar de maneira muito relevante a dar continuidade ao nosso crescimento e atender essas pessoas”, afirmou o ministro, em entrevista ao Portal Planalto.

Nesta quinta-feira (28), o governo federal anunciou o calendário de saques do PIS/Pasep, que começará a partir de outubro. "Esses recursos atenderão, principalmente, pessoas mais idosas, um público que já tem uma necessidade maior de despesas com medicamentos, atendimento de saúde e de outra natureza que justificam ainda mais essas medidas", ressaltou. 

Retomada

Na avaliação do ministro, o momento do anúncio da medida é correto, tendo em vista o processo de retomada da economia, que já conta com condições econômicas mais positivas. “O mercado de trabalho está melhorando com a geração de mais de 160 mil empregos, redução da taxa de desemprego, crescimento da renda [...] tudo isso está acontecendo e essa medida vem no sentido de complementar e dinamizar esse processo”, apontou.

Visão semelhante tem o presidente do Banco do Brasil, Paulo Rogério Caffareli. Para ele, a economia brasileira se encontra no “exato momento” de retomada. “Os números ao longo de 2017 vêm demonstrando que estamos no caminho certo”, disse.

Caffarelli também acredita que os recursos, a exemplo do que ocorreu com o saque das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), vão aquecer ainda mais a economia brasileira. “Tivemos impacto bastante positivo com o pagamento do Fundo de Garantia (...) Teremos um aquecimento maior ainda da nossa economia [com os recursos do PIS/Pasep]”, concluiu.

Fonte: Portal Planalto, com informações do Ministério do Planejamento

error while rendering plone.belowcontentbody.relateditems
Reportar erro