Notícia

Pronunciamento oficial

Presidente pede no STF suspensão de inquérito aberto com base em gravação "adulterada"

publicado: 20/05/2017 16h21, última modificação: 26/02/2018 12h06
Gravação não tem autenticidade comprovada; perícia aponta que áudio foi editado

O presidente da República, Michel Temer, ingressou com pedido no Supremo Tribunal Federal (STF) para suspender o inquérito aberto para investigá-lo e que tem como base uma gravação que não tem a autenticidade comprovada.

Para o presidente, o áudio, que contém trechos de um diálogo entre ele e o empresário Joesley Batista, foi “manipulado e adulterado com objetivos subterrâneos”. O anúncio foi feito neste sábado (20) durante pronunciamento no Palácio do Planalto, em Brasília (DF).

Ainda na noite de sábado, o ministro do STF Edson Fachin determinou que a Polícia Federal faça uma perícia na gravação e remeteu ao plenário da Corte o pedido do presidente da República. Na próxima quarta-feira (24), o Supremo deve decidir sobre a suspensão do inquérito.

Assista:

“Em registro, eu li hoje notícia do jornal Folha de S. Paulo de que a perícia constatou que houve edição no áudio de minha conversa com o senhor Joesley Batista”, relatou o presidente. “Essa gravação clandestina foi manipulada e adulterada com objetivos nitidamente subterrâneos. Incluída no inquérito sem a devida e adequada averiguação, levou muitas pessoas a um engano induzido”, observou. “Houve mais de 50 edições desse áudio”, argumentou.

O presidente também ponderou que o áudio e os depoimentos têm divergências e mentiras claras. Temer observou que os depoimentos dos empresários Joesley Batista e Ricardo Saud provam apenas a falta de sintonia e divergência entre eles. O primeiro fala em buscar uma forma de interlocução com o presidente, pois não a tinha. Já o segundo fala que era interlocutor frequente em nome do grupo. “Há muitas mentiras espalhadas em seus depoimentos”, constatou.

“Lembrem da acusação de que eu dera aval para comprar o silêncio de um ex-deputado. Não existe isso na gravação, mesmo tendo sido ela adulterada. E não existe porque nunca comprei o silêncio de ninguém”, defendeu.

Recuperação econômica

O presidente disse ainda que esse áudio tenta macular não só a reputação do presidente da República, mas tenta invalidar também o País. “O Brasil não sairá dos trilhos. Eu continuarei à frente do governo”, afirmou.

“Já recuperamos o PIB, acabamos com a recessão, reduzimos a inflação, derrubamos a taxa de juros, estamos gerando empregos e liberamos mais de R$ 40 bilhões para os trabalhadores brasileiros”, afirmou. “Estamos completando as reformas para modernizar o Estado brasileiro. Meu governo tem rumo”, argumentou.

Leia a íntegra do pronunciamento.

Ouça a íntegra do pronunciamento.

Fonte: Portal Planalto

Reportar erro