Notícia

Previdência

Reforma da Previdência deve gerar economia de R$ 678 bilhões até 2027

publicado: 06/12/2016 15h29, última modificação: 26/02/2018 12h08
Rombo projetado para este ano do sistema previdenciário brasileiro é de R$ 152 bilhões

As mudanças de regras previdenciárias propostas pelo governo federal devem gerar uma economia de cerca de R$ 678 bilhões até 2027. A estimativa é do secretário de Previdência do Ministério da Fazenda, Marcelo Caetano, que apresentou a proposta nesta terça-feira (6).

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) encaminhada ao Congresso busca garantir a sustentabilidade da Previdência e que todos os cidadãos tenham acesso à aposentadoria. Só no ano passado, o rombo da Previdência foi de R$ 86 bilhões. Neste ano, a projeção é de um déficit de R$ 152 bilhões.

Custos

Nas contas do governo, o conjunto de propostas pode gerar uma redução de custos, em 2018, de R$ 4,6 bilhões. Em 2019 e em 2020, a economia seria de R$ 14,6 bilhões e 26,7 bilhões, respectivamente. Já em 2021, a projeção é de uma diminuição de R$ 39,7 bilhões.

Para o regime próprio dos servidores públicos, a redução de gasto ficaria entre R$ 5 bilhões e R$ 7 bilhões por ano. “Essa economia é em relação ao gasto que se teria caso não se fizesse reforma alguma”, disse o secretário, em entrevista coletiva no Palácio do Planalto.

Fonte: Portal Planalto

Reportar erro