Notícia

Recuperação da Economia

Novo plano de gestão da Petrobras devolverá confiança para companhia, diz Pedro Parente

publicado: 15/10/2016 09h51, última modificação: 26/02/2018 12h28
Em entrevista ao jornal Financial Times, presidente da estatal detalhou como o novo direcionamento das ações vai ajudar a fortalecer economicamente a companhia e recuperar a confiança dos investidores estrangeiros
Novo Plano de Gestão da Petrobras devolverá confiança para a companhia

Presidente Michel Temer e Pedro Parente, presidente da Petrobras. Acordo garante independência nas decisões da estatal - Foto: Foto: Marcos Corrêa/PR

O presidente da Petrobras, Pedro Parente, disse, em entrevista ao jornal Financial Times, acreditar que o Plano de Negócios e Gestão 2017-2021, divulgado em setembro, vai recuperar a reputação da companhia junto aos investidores internacionais. O foco das ações está em reduzir a dívida liquida da estatal, possibilitar o aumento da venda de ativos e revisar a política de vendas de combustível.

Pedro Parente ressaltou na entrevista que, desde que foi nomeado para o posto, em junho deste ano, teve a garantia do presidente Michel Temer de que a companhia teria independência para tomar decisões, e não seria mais usada politicamente pelo governo federal. Com isso, ficou acordado que os diretores da Petrobras seriam contratados por mérito, a racionalidade econômica ditaria a estratégia comercial e a companhia iria gerir a política de preço de combustíveis.

Esse novo direcionamento das tomadas de decisões da Petrobras dá uma boa oportunidade para ter sucesso com o plano de recuperação, afirma Parente. "É uma oportunidade única", disse na entrevista.

Redução do preço da gasolina e do diesel

Já como resultado da implementação do novo Plano de Negócios e Gestão, a estatal anunciou, nesta sexta-feira (14), redução no preço da gasolina (-3,2%) e do diesel (-2,7%) nas suas refinarias. Os novos valores já começam a ser praticados a partir deste sábado (15).

Segundo a companhia, essa nova política de preços leva em consideração dois fatores: a paridade com o mercado internacional – que inclui custos como frete de navios, custos internos de transporte e taxas portuárias – além de uma margem para remunerar riscos como, por exemplo, volatilidade da taxa de câmbio e dos preços.

Ainda de acordo com a Petrobras, a decisão de reduzir os preços do diesel e da gasolina neste momento levou em conta o crescimento das importações e também a sazonalidade do mercado mundial de petróleo.

A nova política prevê também avaliações mensais para revisar os preços dos combustíveis nas refinarias. Como o valor do diesel e da gasolina acompanhará a tendência do mercado internacional, a Petrobras informa que poderá haver manutenção, redução ou aumento nos preços praticados.

Petrobras reduz preço de gasolina e diesel

 Fonte: Portal Planalto, com informações da Petrobras

Reportar erro