Notícia

Renegociação de dívidas

Renegociação de dívidas permite a estados reinvestir recursos e gerar empregos em todo o país, diz presidente Temer

publicado: 28/06/2016 18h21, última modificação: 26/02/2018 12h28
A renegociação da dívida dos estados permitirá que cada unidade da federação utilize estes recursos em seu território, gerando empregos
Dívidas dos Estados - Klabin

Em entrevista à imprensa, presidente Michel Temer diz que o acordo com os estados é também benéfico para a União

O presidente em exercício, Michel Temer, afirmou nesta terça-feira (28), em entrevista à imprensa em Ortigueiras (PR) que a renegociação da dívida dos estados acordada pelo governo federal, permitirá que cada unidade da federação utilize estes recursos em seu território, gerando empregos. E ele citou o Paraná como exemplo.

“Aqui no Paraná a vantagem, só neste ano, é de quase R$ 500 milhões, que serão reinvestidos [em obras] no estado, portanto, gerando empregos. Isso vai acontecer em todo o país, em todos os estados brasileiros”, apontou.

Pelo acordo, firmado no último dia 20, a União concede uma carência até o final de 2016 para que os estados continuem pagando suas dívidas. A partir de janeiro de 2017, os Estados vão pagar 5,5% sequencialmente durante 18 meses até alcançar 100% do valor devido.

E o acordo é benéfico também para a União, esclareceu o presidente. “Temos absoluta convicção de que a União será forte no Estado democrático, na medida que estados e municípios também sejam fortes”.

Fonte: Portal Planalto

Reportar erro