Notícia

Retomada da economia

Governo atua contra crise de confiança, afirma Moreira Franco

publicado: 08/06/2016 15h10, última modificação: 26/02/2018 12h28
Segundo ele, as experiências mal sucedidas do passado, como fixar taxa de retorno de maneira unilateral, reduziu o nível de confiança na economia
Secretário executivo do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) fez raio-x de problemas enfrentados pelo governo em exercício..jpg

Secretário executivo do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) fez raio-x de problemas enfrentados pelo governo em exercício - Foto: Foto: Carolina Antunes/PR

O secretário executivo do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) da Presidência da República, Moreira Franco, afirmou que o governo em exercício tem trabalhado para tirar o Brasil de uma crise de confiança e tem buscado soluções que possam dar certo, com regras claras e transparentes.

Em encontro com o presidente interino Michel Temer e líderes empresariais, nesta quarta-feira (8), Moreira Franco destacou que o grande problema do País é a questão da confiança. Segundo ele, as experiências malsucedidas do passado, como fixar taxa de retorno de maneira unilateral, reduziu o nível de confiança na economia.

“Não temos esse poder de fixar a taxa de retorno unilateralmente. É um processo social, é o mercado que faz isso”, explicou. Ele ainda observou que o Brasil vem de um passado de insegurança jurídica que ainda precisa ser superado.

Acesse aqui a galeria de fotos oficiais deste evento

Segurança jurídica
Moreira salientou que o governo em exercício está trabalhando para melhorar regras contratuais, audiências públicas e todo o conjunto regulatório, que está fragilizado. “Essas são questões que estamos enfrentando. Vamos encontrar soluções, não inovadoras, mas vamos buscar o que está dando certo”, explicou.

O secretário ainda ponderou que a nova equipe econômica definiu um rumo para o País, depois que Michel Temer tomou posse como presidente interino. Segundo ele, essa equipe mostrou o caminho e não falou em aumento de juros ou de impostos “para a solução da maior crise econômica da nossa história”.

Realismo
“Não se viu a hipótese de enfrentar o problema de maneira artificial. Os termos que precisamos tratar são os colocados aqui e eles serão tratados sem fantasia, sem ilusão”, observou.

“Houve mudança de atitude. Não se está querendo resolver esses problemas pela fantasia, pelo discurso”, argumentou. Moreira ainda ponderou que desde o ministro Delfim Netto não se tem uma equipe econômica tão alinhada do ponto de vista de teoria econômica.

“Isso tem valor imenso e permite viver experiência de uma equipe econômica sem divergência ideológica. O Brasil já não aguenta mais viver na ilusão. Essa equipe tem um diagnóstico que é comum a todos os brasileiros”, defendeu.

Fonte: Blog do Planalto

Reportar erro