Notícias

Entrevista

Temer destaca interesse de empresas estrangeiras em investir no País

publicado: 07/06/2018 19h57, última modificação: 07/06/2018 23h17
Em entrevista à TV Brasil, presidente da República reforçou compromisso em manter o ajuste fiscal e atribuiu a capacidade de diálogo do governo no acordo com os caminhoneiros
Temer destaca interesse de empresas estrangeiras em investir no País

Presidente deu entrevista à jornalista Roseann Kennedy nesta quinta-feira (7)

Em entrevista ao programa Nos Corredores do Poder, da TV Brasil, nesta quinta-feira (7), o presidente da República, Michel Temer, apontou que empresas estrangeiras, como montadoras de veículos e empresas de comunicação, continuam interessadas em investir no País. “Muitas empresas estrangeiras participaram do leilão, o que significa a crença no nosso País”, avaliou, destacando o comprometimento do governo com o ajuste fiscal para manter o crescimento no País. 

De acordo com ele, o Brasil não corre risco de passar por uma crise cambial, uma vez que não é o único país que sofre os efeitos da valorização do dólar. “O ajuste fiscal está sob controle, os investimentos continuam ocorrendo e nossa reserva externa é muito acentuada”, disse o presidente. 

Em entrevista à jornalista @roseannkennedy, da EBC, afirmei que não há risco de crise cambial no Brasil, pois o País dispõe de uma reserva de US$ 380 bi, além de manter sob controle o ajuste fiscal e continuar recebendo investimentos de empresas estrangeiras. pic.twitter.com/sVvZ0Ce3RL

— Michel Temer (@MichelTemer) 7 de junho de 2018

Caminhoneiros 

Temer atribuiu a capacidade de diálogo do governo na superação da paralisação dos caminhoneiros. “É importante dizer que fomos até onde foi possível na questão das concessões que fizemos para debelar a questão dos caminhoneiros”, afirmou. “Utilizamos o diálogo e força institucional, e não a força bruta [...] O Brasil tem que aprender a conviver com o diálogo e com a democracia”, defendeu. 

Avanços

Além dos avanços na área econômica nos dois anos de gestão, o presidente ressaltou ainda o desenvolvimento de setores como educação, com a criação de universidades e com a reforma do ensino médio, e meio ambiente, com a criação de reservas e unidades de conservação pelo País, além de ressaltar o leilão do pré-sal, que ocorreu hoje, em que empresas do setor de óleo de gás arremataram três blocos por R$ 3,15 bilhões.

Fonte: Planalto