Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2017 > 12 > Produtos brasileiros vão ganhar em qualidade e credibilidade

Notícia

Produtos brasileiros vão ganhar em qualidade e credibilidade

Agropecuária

Programa lançado pelo Governo do Brasil vai garantir boas práticas entre entes governamentais e privados
por Planalto publicado: 12/12/2017 19h25 última modificação: 12/12/2017 22h55
Alan Santos/PR Programa é mais uma inovação do governo, diz Blairo

Programa é mais uma inovação do governo, diz Blairo

Com a transparência e a garantia de condutas éticas na condução dos negócios, o Programa Agro+ Integridade vai levar mais credibilidade e qualidade à produção brasileira de produtos agropecuários, tanto no setor público quanto na prática adotada pelos entes privados. 

Lançado, nesta terça-feira (12), no Palácio do Planalto, o programa dará um selo de qualidade no final do próximo ano à empresa que cumprir todas as regras de boas condutas e ética – o Selo Agro+ Integridade. Outras empresas que seguirem à risca o planejamento de responsabilidade social terão seus nomes divulgados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Para o presidente da Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária (CNA), João Martins da Silva, a adoção das normas resultará na comprovação da segurança e da credibilidade da produção brasileira. “[O programa] pretende cada vez mais mostrar aos países compradores que a agricultura brasileira produz com segurança”, afirmou, em entrevista ao Planalto.

Inovação

As regras propostas pelo Mapa deverão mostrar aos países compradores que os procedimentos adotados no Brasil são corretos, tanto na parte governamental quanto no setor privado. Na visão do ministro da Agricultura, Blairo Maggi, a medida se trata de mais uma inovação do Governo do Brasil.

“Sempre há uma desconfiança de que os processos políticos interferem nos processos técnicos”, afirmou o ministro. “Acho que o Ministério inova nessa direção para evitar corrupção, evitar contágio entre servidores do Mapa e industriais”, completou.

Fonte: Planalto, com informações do Mapa