Notícia

Previdência Social

Com reforma, Brasil vai evitar desastre similar à Grécia e Portugal, diz Temer

publicado: 13/12/2017 12h41, última modificação: 26/02/2018 12h28
Em evento que reuniu prefeitos e autoridades, presidente da República reforça a necessidade de aprovação das novas regras de aposentadoria
Temer: reforma vai evitar desastre nos próximos anos

Temer: situação vivida por Grécia e Portugal não se repetirá no Brasil

O presidente da República, Michel Temer, avaliou nesta quarta-feira (13) que a aprovação da reforma da Previdência vai evitar um desastre nos próximos anos no Brasil. Ao discursar a prefeitos no Palácio do Planalto, o presidente apontou que pensões, aposentadorias e salários podem sofrer cortes “em brevíssimo tempo” se as alterações propostas forem adiadas.

“Nós estamos fazendo uma reforma agora que evita um desastre ali na frente, desastre já revelado modernamente. Na Grécia, Portugal... Lá houve corte de aposentadorias, pensões, vencimentos porque não se tomou a cautela de se fazer uma reforma média, uma reforma razoável”, disse ele.

Para Temer, a reforma do sistema de aposentadorias será muito mais dura caso não seja aprovada neste momento. “Para que isso [cortes] não venha acontecer em brevíssimo tempo, se não fizermos agora, teremos que fazer reforma muito mais radicalizada”, considerou.

Economia

Sem a reforma, acrescentou Temer, os efeitos negativos podem ir além das dificuldades dentro do sistema previdenciário. "Eu temo que, se nós não conseguirmos aprovar a qualquer momento a reforma previdenciária, que a economia responda negativamente. Isso não é bom para o nosso país", afirmou.

Nos últimos dias, o Governo do Brasil, empresários e líderes parlamentares vêm reforçando a necessidade de aprovação da reforma da Previdência, que atualmente está em análise na Câmara dos Deputados. Ela é considerada essencial para eliminar privilégios e evitar que as contas públicas entrem em colapso dentro dos próximos anos. 

Ele lembrou  ainda das reformas estruturais realizadas nos últimos meses – como o teto dos gastos públicos e a modernização trabalhista –, e atribuiu a elas a retomada da economia brasileira. Segundo ele, contudo, é necessário concluir as novas regras de aposentadoria para permitir que o País continue gerando empregos e crescendo.

Mais recursos para os municípios

Presidente da Confederação Nacional de Municípios, Paulo Ziulkoski também apontou para a necessidade de fazer a reforma da Previdência. Segundo ele, essa alteração vai permitir com que os municípios tenham mais espaço orçamentário para implementar melhorias à população em suas regiões. “Nós estamos trabalhando. Precisamos da reforma da Previdência por necessidade”, disse ele, em seu discurso. 

Fonte: Planalto

error while rendering plone.belowcontentbody.relateditems