Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2017 > 09 > Reformas apresentadas pelo governo têm compreensão da população, diz Temer

Notícia

Reformas apresentadas pelo governo têm compreensão da população, diz Temer

Retomada econômica

Em reunião com integrantes da base aliada, presidente da República destaca diálogo entre os poderes e ações que resultam na melhora do ambiente econômico
por Portal Planalto publicado: 13/09/2017 16h00 última modificação: 13/09/2017 16h29
Marcos Corrêa/PR Presidente participou de encontro com parlamentares da base aliada

Presidente participou de encontro com parlamentares da base aliada

Reformas apresentadas pelo governo federal, como o teto de gastos, a do ensino médio, da Previdência Social e a modernização trabalhista contam com a compreensão e até com o apoio da população. Essa é a avaliação do presidente da República, Michel Temer, em discurso feito durante reunião, no Palácio da Alvorada, com parlamentares da base aliada no Congresso Nacional.

“A corrente popular não é em nosso desfavor, penso eu que é em nosso favor, ou se não é a nosso favor ela compreende o que está acontecendo”, observou o presidente. Ele explicou ainda que a reunião desta quarta-feira (13), que tratou principalmente do cenário econômico, abordou temas ainda em discussão no Congresso, como a reforma da Previdência e a simplificação tributária.

Temer defendeu que o País precisa de uma simplificação tributária para tornar as empresas mais competitivas e da reforma da Previdência para garantir a sustentabilidade dos cofres públicos. “As pessoas já começam a perceber que é fundamental fazer-se uma reforma agora”, afirmou o presidente.

Indicadores econômicos

Temer ainda abordou os indicadores econômicos e sugeriu aos presentes que fizessem uma comparação. “A inflação, por exemplo, que estava, quando nós assumimos em maio de 2016, em quase 10%, hoje está em 2,46%”, relatou o presidente. Ele ainda citou outros indicadores que melhoraram no período, como a taxa básica de juros, a produção industrial e de veículos, o agronegócio e a valorização da Bolsa de Valores.

Fonte: Portal Planalto