Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2017 > 09 > Banco do Brics apoia projeto brasileiro em energia renovável solar e eólica

Notícia

Banco do Brics apoia projeto brasileiro em energia renovável solar e eólica

Brasil no Brics 2017

Vice-presidente da instituição, Paulo Nogueira Batista Jr., destaca empréstimo do banco com o BNDES, de US$ 300 milhões, para apoiar ação da iniciativa privada brasileira
publicado: 03/09/2017 23h40 última modificação: 08/09/2017 16h00
Reprodução/Portal Planalto Segundo Batista, estratégia do banco para os próximos cinco anos é se voltar para o apoio de iniciativas de infraestrutura sustentável

Segundo Batista, estratégia do banco para os próximos cinco anos é se voltar para o apoio de iniciativas de infraestrutura sustentável

Com foco no apoio a projetos voltados para sustentabilidade, o Novo Banco do Desenvolvimento (NBD), o banco do Brics, anunciou apoio a projeto brasileiro. Segundo Paulo Nogueira Batista Jr., vice-presidente da instituição, o País já possui um empréstimo do banco com o BNDES, de US$ 300 milhões, assinado no último dia 30 de agosto, para série de subprojetos da iniciativa privada brasileira na área de energia renovável solar e eólica.

Com o apoio à iniciativa brasileira, a diretoria da instituição já soma quatro projetos apoiados, com um total equivalente a US$ 3 bilhões aprovados, destacou Batista, durante a IX Cúpula do grupo, formado por países em desenvolvimento: Brasil, Rússia, Índia, África do Sul e China. Este último sedia o encontro na cidade de Xiamen (sudeste do país).

"E estamos identificando novos projetos que obedeçam a essas características, projetos sustentáveis do ponto de vista social, financeiro e ambiental. Isso é de interesse estratégico do Brasil e da sociedade brasileira", afirmou Batista. O banco opera quase que exclusivamente nos cinco países membros, mobilizando recursos financeiros para apoiar iniciativas de interesse da sociedade.

Segundo Batista, a estratégia para os próximos cinco anos é se voltar para o apoio de ações em infraestrutura sustentável, como energia renovável, gestão de recursos hídricos, saneamento básico e mobilidade urbana.

"Cerca de dois terços dos projetos a serem aprovados nos próximos cinco anos serão nesse campo. O banco está se definindo como banco verde, banco que foca em projetos sustentáveis e se financia também com bônus verdes", destacou.

Fonte: Portal Planalto