Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2017 > 09 > Após assembleia, Temer reúne membros da CPLP para debater política internacional

Notícia

Após assembleia, Temer reúne membros da CPLP para debater política internacional

Cooperação

Para primeiro-ministro português, encontro serviu como "ponto de controle" para ações diplomáticas. Secretária executiva defendeu atuação conjunta em questões externas
por Portal Planalto publicado: 19/09/2017 22h08 última modificação: 20/09/2017 14h09
Beto Barata/PR Presidente da República participou de reunião prévia da CPLP

Presidente da República participou de reunião prévia da CPLP

Após a abertura da sessão de debates da 72ª Assembleia Geral das Nações Unidas, o presidente da República, Michel Temer, reuniu nesta terça-feira (19) os nove países-membros da Comunidade dos Países de Língua-Portuguesa (CPLP) para debater a política internacional.

"Trocamos impressões, trocamos ideias", resumiu Temer. Uma nova rodada de conversas está prevista para esta quarta (20). O Brasil ocupa a presidência do grupo até setembro do ano que vem e inseriu nas discussões do bloco o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável propostos pela ONU.

Ações estratégicas

De acordo com o primeiro-ministro português, António Luís Santos da Costa, as conversas serviram como "ponto de controle" das ações estratégicas da CPLP em setores como diplomacia para circulação de pessoas entre as nações e o cumprimento das medidas ambientais da Agenda 2030.

"Não pode ser apenas um processo de coordenação política, tem-se enraizar no dia a dia dos cidadãos, e nada melhor do que a liberdade de ciência, a validade dos títulos acadêmicos e a portabilidade dos direitos sociais para ajudar que cada um de nós se sinta parte da mesma comunidade", ressaltou.

Política externa

Para a secretária executiva da CPLP, Maria do Carmo Silveira, o grupo precisa agir como bloco de pressão além das integração e solidariedade entre os países-membros.

"A CPLP é hoje sobretudo um instrumento de política externa dos nossos países, é o palco onde os países de língua portuguesa podem conversar sobre as grandes questões da atualidade internacional", ponderou ao falar sobre políticas empresariais, para a juventude e de promoção da igualdade de gênero.

Fonte: Portal Planalto