Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2017 > 08 > Para Temer, investimento em construção civil combate o desemprego

Notícia

Para Temer, investimento em construção civil combate o desemprego

Crescimento

Como exige muita mão de obra, setor tem maior capacidade de ajudar na retomada da economia. “Estamos hoje estimulando o emprego”, afirma
por Portal Planalto publicado: 08/08/2017 17h21 última modificação: 08/08/2017 17h48
lan Santos/PR No lançamento do Produlote, Temer destaca medidas contra o desemprego

No lançamento do Produlote, Temer destaca medidas contra o desemprego

O presidente da República, Michel Temer, defende nesta terça-feira (8) o investimento em construção civil como uma forma de combate ao desemprego. Segundo o presidente, o setor é o que mais facilmente emprega trabalhadores no País.

“[A construção civil] é o setor que mais facilmente emprega, porque exige muita mão de obra. Então, é capaz de combater enormemente o desemprego”, afirmou Temer, durante cerimônia de lançamento do Produlote, programa da Caixa Econômica Federal de incentivo à infraestrutura. “O que estamos fazendo é estimular o emprego.”

Com o Produlote, a Caixa vai destinar R$ 1,5 bilhão em crédito para financiar obras em lotes urbanos. “É uma importância significativa, expressiva, para os lotes urbanizados, é uma novidade. Uma novidade, como você disse, há mais de tantos anos que se ansiava por isto e isto acabou acontecendo”, destacou.

Economia

“É interessante como um anseio do passado foi concretizado no nosso governo”, afirmou Temer. Como parte do esforço do governo para gerar emprego, o presidente destacou a modernização da legislação trabalhista. “Nós fizemos em benefício do emprego, do trabalhador, do empresariado”, afirmou.

Outra medida foi a liberação do saque das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). “Ela produz dois efeitos. Em primeiro lugar, ela satisfaz ao trabalhador, porque aquele dinheiro é seu. E, por outro lado, foram R$ 44 bilhões injetados na economia brasileira”, disse.

Fonte: Portal Planalto