Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2017 > 08 > Para Temer, “ação criativa” de liberar o FGTS deu “resultado extraordinário”

Notícia

Para Temer, “ação criativa” de liberar o FGTS deu “resultado extraordinário”

FGTS

Em pronunciamento, presidente da República destaca inovação e sensibilidade do governo em permitir a retirada do saldo do Fundo de Garantia. Medida beneficiou 25 milhões de pessoas
por Portal Planalto publicado: 01/08/2017 18h40 última modificação: 01/08/2017 21h43
Alan Santos/PR Aproximadamente R$ 43 bilhões foram repassados aos contribuintes

Aproximadamente R$ 43 bilhões foram repassados aos contribuintes

Beneficiar 25 milhões de pessoas com a liberação do saldo do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) foi uma “ação criativa” do governo federal que deu um “resultado extraordinário”, afirmou o presidente da República, Michel Temer, em pronunciamento divulgado nesta terça-feira (1º) nas redes sociais.

Último balanço divulgado pela Caixa Econômica Federal mostra que R$ 42,8 bilhões foram sacados das contas inativas do FGTS pelos brasileiros. O prazo para retirada foi encerrado ontem (31). Porém, decreto presidencial prorrogou o período para pessoas com enfermidades ou presas em regime fechado.

“Uma ação criativa e que deu um extraordinário resultado. Por um lado era uma ação simples. Bastava devolver o dinheiro aos seus verdadeiros donos”, afirmou Temer. No pronunciamento, o presidente lembrou que, “entrava governo, saía governo”, a possibilidade de liberar o saque do dinheiro do trabalhador não era cogitada.

Prioridade: emprego

Liberar o saldo do FGTS faz parte de um projeto maior do governo Temer: melhorar a vida dos brasileiros, gerando emprego e renda. “Tenho como preocupação central o resgate dos empregos perdidos. E vou lutar por esses empregos até o último dia do meu governo. Nós vamos juntos vencer essa batalha”, disse.

Além de gerar emprego, Temer destaca ser necessário dar segurança aos brasileiros empregados, melhorando a renda, controlando a inflação, baixando os juros, melhorando os serviços públicos, como educação, saúde e as políticas sociais. “No que depender do seu presidente, podem estar certos: disposição e coragem não me faltarão para reformar e melhorar o que for preciso”, concluiu o presidente.

 Fonte: Portal Planalto