Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2017 > 08 > “Estamos reformulando o Brasil”, diz Temer sobre reformas do governo

Notícia

“Estamos reformulando o Brasil”, diz Temer sobre reformas do governo

Equilíbrio de contas

Além da parceira entre o Executivo e o Legislativo, presidente ressalta a importância de ações conjuntas dos setores público e privado para aquecer a economia e gerar empregos
por Portal Planalto publicado: 08/08/2017 13h29 última modificação: 08/08/2017 21h51
Alan Santos/PR Presidente discursa na abertura do 27º Congresso & ExpoFenabrave, em São Paulo

Presidente discursa na abertura do 27º Congresso & ExpoFenabrave, em São Paulo

Durante a abertura do 27º Congresso & ExpoFenabrave, em São Paulo, nesta terça-feira (8), o presidente da República, Michel Temer, afirmou que realizar a reforma da Previdência é prever o futuro. “Fazer a Previdência reformada hoje é ter Previdência para o futuro, é prever o futuro”, disse Temer.

Ao ressaltar o crescimento do déficit da Previdência, o presidente alertou que as contas do governo perderão sustentabilidade. “Este ano o déficit previdenciário é de R$ 184 bilhões e, no ano que vem, de R$ 205 bilhões. Se nós não fizermos esta reforma, vai ser dificílimo enfrentar os próximos anos. Ou seja, ano chegará em que, na verdade, só haverá recursos para pagar funcionário público e pagar as pensões previdenciárias e nada mais do que isso”, salientou.

Ao reforçar que a prioridade do governo é aprovar as reformas Previdenciária, Trabalhista e Tributária, Temer afirmou que vai continuar priorizando medidas para promover o equilíbrio das contas públicas, como o teto dos gastos e a modernização trabalhista. “Estamos reformulando o Brasil”, disse.

Além da parceira entre o Executivo e o Legislativo, o presidente ressaltou a importância de ações conjuntas dos setores público e privado para aquecer a economia e gerar empregos. “Nós estamos modernizando o País, trazendo o País para o século XXI. Um resultado que pode sair daqui é combater a tese de brasileiro contra brasileiro, precisamos defender a tese de brasileiro com brasileiro”, concluiu o presidente.

Fonte: Portal Planalto