Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2017 > 07 > Temer: negociação externa é prioridade da presidência brasileira do Mercosul

Notícia

Temer: negociação externa é prioridade da presidência brasileira do Mercosul

Brasil no Mercosul

Presidente afirmou que bloco buscará concluir acordo com União Europeia, além de estreitar laços com Aliança do Pacífico e aproximar parcerias asiáticas
por Portal Planalto publicado: 21/07/2017 12h58 última modificação: 25/07/2017 16h47
Foto: Alan Santos/PR Presidente Michel Temer destacou união em plenária do Mercosul

Presidente Michel Temer destacou união em plenária do Mercosul

Durante sessão plenária da Cúpula do Mercosul, na manhã desta sexta-feira (21), em Mendoza, o presidente da República, Michel Temer reforçou que a ampliação das negociações externas do bloco será uma das prioridades durante a presidência pro-tempore brasileira. O País recebe hoje da Argentina o comando para o próximo semestre.

“Diante das pressões protecionistas que perduram em diferentes quadrantes, a razão recomenda resistirmos ao isolamento, recomenda insistirmos nos processos de integração. O fechamento ao outro é um obstáculo ao desenvolvimento. Na presidência brasileira, continuaremos engajados em nossa ambiciosa pauta de negociações externas”, afirmou.

Além de buscar a conclusão do acordo com a União Europeia, o Mercosul, sob a presidência brasileira, buscará estreitar laços com os países da Aliança do Pacífico. Temer ressaltou a importância desse objetivo citando em seu discurso que Mercosul e Aliança do Pacífico, juntos, reúnem cerca de 80% da população da América Latina e do Caribe e representam mais de 90% do PIB e dos fluxos de investimento estrangeiro na região.

O bloco também  buscará aproximação com parceiros asiáticos. Atualmente, o Mercosul já mantém diálogo com Japão, Coreia do Sul, Índia e países da Associação de Nações do Sudeste Asiático (Asean).

“Estaremos empenhados nessas frentes. O que nos guia, sempre, são os interesses de nossas sociedades, que anseiam por mais prosperidade e bem-estar”, disse Temer.

Livre comércio

Ressaltando avanços alcançados para o livre comércio durante a presidência argentina do Mercosul, como a assinatura do Protocolo de Cooperação e Facilitação de Investimentos do Mercosul e a identificação e eliminação de entraves às trocas, Temer apontou que o Brasil buscará fortalecer ainda mais o processo de integração.

“Menos barreiras significam mais comércio, mais riqueza, mais empregos de qualidade – sobretudo quando consideramos que nosso comércio é composto majoritariamente por produtos industrializados. Esse é o espírito do Mercosul que desejamos consolidar e aprofundar cada vez mais”, declarou.

Democracia

Em seu discurso, o presidente ressaltou o “apego inegociável” do Mercosul aos princípios democráticos e afirmou que os integrantes do bloco acompanham “com grande preocupação” a situação na Venezuela. Temer citou a deterioração do quadro político-institucional, as carências sociais que “ganham contornos de crise humanitária”, as prisões arbitrárias e outras medidas de repressão política.  

“Nossos chanceleres reconheceram formalmente a ruptura da ordem democrática na Venezuela. Nossa mensagem é clara: conquistamos a democracia, em nossa região, com grande sacrifício, e não nos calaremos, não nos omitiremos frente a retrocessos”, pontuou.  

Fonte: Portal Planalto