Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2017 > 07 > Em nota, Mercosul defende retomada da "ordem institucional" na Venezuela

Notícia

Em nota, Mercosul defende retomada da "ordem institucional" na Venezuela

Brasil no Mercosul

Membros do bloco comercial pedem fim da violência e libertação dos presos políticos no país. Para Michel Temer, "pacificação interna" é necessária
por Portal Planalto publicado: 21/07/2017 18h49 última modificação: 21/07/2017 18h57
Foto: Alan Santos/PR Presidente Michel Temer afirmou, na Sessão Plenária, que o bloco continuará atento à situação do país

Presidente Michel Temer afirmou, na Sessão Plenária, que o bloco continuará atento à situação do país

Os países membros do Mercosul defenderam, nesta sexta-feira (21), a retomada da ordem institucional e o fim da violência e a libertação dos presos políticos na Venezuela. Em nota divulgada após a reunião de cúpula, os integrantes, além de Chile, Guiana e Colômbia, demonstraram preocupação com a crise política e social venezuelana.

No texto, as nações fazem chamado para que a Venezuela restabeleça a ordem institucional, a vigência do Estado de Direito e a separação de poderes, respeitando garantias constitucionais e os direitos humanos. Ao pregar que oposição e governo evitem dividir a população, elas se dispuseram a acompanhar o processo de diálogo entre os venezuelanos.

Em discurso durante a sessão plenária do Mercosul, o presidente da República, Michel Temer, ressaltou que o bloco seguirá atento à situação da Venezuela. “Nós esperamos fortemente que haja um diálogo muito produtivo, entre a oposição e o governo, de modo que haja uma pacificação interna na Venezuela”, afirmou.

Para Temer, o conflito entre governo e oposição prejudica o povo e a economia da Venezuela. “Evidente que quando nós nos referimos ao governo de um lado, e ao povo venezuelano, não é apenas para fazer críticas, mas para incentivar um possível acordo entre situação e oposição”, completou o presidente.

Fonte: Portal Planalto