Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2017 > 06 > Para ministro da Agricultura, viagem à Rússia reforça relação na agropecuária

Notícia

Para ministro da Agricultura, viagem à Rússia reforça relação na agropecuária

Brasil na Rússia

Eumar Novacki aponta resultados das trocas comerciais bilaterais no setor agropecuário com política de reaproximação promovida pelo governo brasileiro
por Portal Planalto publicado: 19/06/2017 18h35 última modificação: 19/06/2017 18h56
Valter Campanato/Agência Brasil Ministro interino acredita em novos acordos após a viagem oficial

Ministro interino acredita em novos acordos após a viagem oficial

A viagem oficial da delegação brasileira à Rússia, comandada pelo presidente da República, Michel Temer, reforça especialmente a relação bilateral no setor agropecuário. Essa é a visão do ministro interino da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Eumar Novacki. “Eu tenho absoluta convicção de que isso vai refletir nos acordos que virão pela frente”, afirmou.

Para o ministro interino, a viagem reafirma a disposição brasileira em estreitar o comércio bilateral de produtos agropecuários. Após uma queda significativa nas trocas comerciais  entre os dois países entre 2011 e 2015 – com queda nas exportações brasileiras em 10% e em 12% nas russas –, o governo brasileiro, após a posse de Temer, retomou os contatos com as autoridades do país europeu.

“Percebemos claramente que o relacionamento era ruim, o governo russo reclamou muito que o governo brasileiro não cumpria com os acordos que prometia e não entregava”, afirmou. A primeira providência do governo foi uma visita do ministro Blairo Maggi à Rússia. Como resultado, foi ativado um comitê agrícola.

Resultado

O trabalho resultou em melhoria das relações bilaterais e em crescimento das exportações e importações. Um exemplo disso é o aumento na exportação de carnes brasileiras para o parceiro no último ano. Entre janeiro e maio de 2016, o volume foi de US$ 358,7 milhões; no mesmo período em 2017, já foi atingido o volume de US$ 555,7 milhões – um aumento de 54,91%.

No mesmo período, derivados da produção agropecuária (classificados na balança comercial como “outros produtos de origem animal”) registraram crescimento de 98%, atingindo a soma de US$ 5,3 milhões. Como as necessidades dos países são complementares, o potencial para crescimento da parceria é grande.

A Rússia é hoje o maior mercado na exportação de algumas commodities brasileiras, sendo o maior comprador de suínos, além de ter relevante participação no mercado russo de aves, carne bovina, soja, café e grãos.

“E o Brasil importa praticamente 90% das suas necessidades de fertilizantes. E o parceiro maior fornecedor do Brasil é a Rússia, tanto de cloreto de potássio, como de ureia. Existe essa correlação muito grande”, avaliou o presidente da Câmara Brasil-Rússia de Comércio, Indústria e Turismo, Gilberto Ramos.

Resposta

Como outra consequência do fortalecimento da relação bilateral, Novacki destaca a postura do governo russo em relação à operação Carne Fraca, da Polícia Federal. A Rússia, lembra ele, desde o primeiro momento reafirmou a confiança no sistema de inspeção federal brasileiro. “Até porque eles estiveram aqui em auditoria. E também foi um gesto para demonstrar: “olha, nós confiamos no Brasil e queremos melhorar a relação”. E assim será feito daqui para frente”, apontou.

Fonte: Portal Planalto