Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2017 > 06 > “O País não está paralisado”, afirma Michel Temer

Notícia

“O País não está paralisado”, afirma Michel Temer

Na imprensa

Em entrevista à revista IstoÉ, presidente garantiu que Legislativo tem trabalhado a todo vapor e que o País continua a crescer
por Portal Planalto publicado: 02/06/2017 12h16 última modificação: 02/06/2017 16h19
Foto: Marcos Corrêa/PR Em entrevista, Temer ressaltou que tem apoio do Congresso Nacional para aprovação de reformas

Em entrevista, Temer ressaltou que tem apoio do Congresso Nacional para aprovação de reformas

O presidente da República, Michel Temer, concedeu entrevista à revista IstoÉ, na manhã desta quinta-feira (1°), no gabinete presidencial. Questionado sobre aquilo que classificou como uma “suposta crise”, ele aproveitou a ocasião para destacar que, nas últimas semanas, o Poder Legislativo trabalhou com velocidade extraordinária.

“Essa chamada crise política não paralisou o País. Ao contrário. Ela até motivou o Congresso a aprovar matérias. Na semana passada, houve um fato inusitado legislativamente. Foram aprovadas sete medidas provisórias. É interessante, o Brasil ganhou até mais agilidade”, mencionou Temer.

O presidente destacou também que conta com apoio do Congresso Nacional, um dos maiores méritos desde o início de seu governo, e que permitiu o encaminhamento de políticas e medidas como a modernização trabalhista e a reforma da Previdência. “O Congresso está comigo, tenho um apoio extraordinário”, garantiu.

Confiança e investimentos

Temer atribuiu os investimentos e a confiança do empresariado às “vantagens” que o governo trouxe para o País desde que assumiu. “A primeira foi estabelecer um teto para os gastos públicos. A segunda foram as reformas que já foram feitas, como a do ensino médio. A própria redução da inflação. Nós pegamos mais de 10% e hoje está praticamente em 4%, abaixo da meta que queríamos atingir no final do ano”, ressaltou.

Ele também citou como exemplo que todos os aeroportos leiloados pelo governo foram negociados com “ágio extraordinário” e reforçou que a perspectiva para o futuro é de otimismo;.“Tenho recebido inúmeras delegações de empresários que só fazem me dizer que vão reinvestir mais dinheiro no nosso país”, afirmou.


Fonte: Portal Planalto, com informações da revista IstoÉ