Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2017 > 06 > Em defesa da Presidência e da honra, diz Temer: “Não fugirei das batalhas”

Notícia

Em defesa da Presidência e da honra, diz Temer: “Não fugirei das batalhas”

Declaração

Em discurso, presidente destaca avanços do governo e lamenta tentativas de paralisar o País. "Não permitirei que me acusem de crimes que jamais cometi", afirma
publicado: 27/06/2017 17h30 última modificação: 27/06/2017 22h49

Como forma de defender a instituição Presidência da República e sua honra pessoal, o presidente Michel Temer garantiu, nesta terça-feira (27), a continuidade do trabalho pela construção do País e que “não fugirá das batalhas”. “[Não me] falta coragem para seguir na reconstrução do País", afirmou. 

Em declaração à imprensa, no Palácio do Planalto, Temer afirmou que está disposto a continuar “a trabalhar pelo Brasil para gerar crescimento e emprego". “Falo hoje em defesa da instituição Presidência da República, e mais, talvez, na defesa à minha honra pessoal”, disse o presidente.

“Eu tenho orgulho de ser presidente, convenhamos, é uma coisa extraordinária. Para mim é algo tocante”, disse. Na visão de Temer, a tarefa de governar o País em um momento de reformas necessárias é uma “tarefa difícil”, mas que possui as condições necessárias para cumpri-la.

Durante o discurso, o presidente também falou das conquistas que o governo já alcançou, como a aprovação da PEC do teto de gastos, a reforma do ensino médio, o trabalho pela queda da inflação e pelas reformas estruturantes. Ele ressaltou, no entanto, que há tentativas de “parar o País, parar o Congresso, num ato político, com denúncias frágeis e precárias”.

Revanche

Nessa segunda-feira (27), a Procuradoria Geral da República (PGR) apresentou denúncia contra o Temer ao Supremo Tribunal Federal (STF). “A essa altura da vida, sem jamais ter recebido valores, nunca vi o dinheiro e não participei de acertos para cometer ilícitos. (...) Onde estão as provas concretas de recebimento desses valores? Inexistem”, afirmou.

“Não permitirei que me acusem de crimes que jamais cometi”, disse. Para o presidente, as regras mais básicas da Constituição “não podem ser esquecidas, jogadas no lixo”. “Tripudiadas pela embriaguez da denúncia que busca a revanche, a destruição e a vingança”, disparou.

O discurso de Temer foi acompanhado por ministros de Estado, deputados, senadores e assessores, que foram até o Palácio do Planalto demonstrar apoio ao governo federal.

Fonte: Portal Planalto