Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2017 > 05 > Petrobras melhora produtividade, aumenta produção e volta a ter lucro

Notícia

Petrobras melhora produtividade, aumenta produção e volta a ter lucro

#AgoraBrasil

Com mudança de gestão, empresa saiu de um quadro de prejuízo e voltou a dar lucro. Companhia também se tornou mais produtiva
por Portal Planalto publicado: 12/05/2017 18h16 última modificação: 15/05/2017 16h15

O presidente da Petrobras, Pedro Parente, afirmou que a estatal é uma companhia que voltou a ter condições de dar orgulho ao brasileiro. Durante evento que marcou um ano do governo Michel Temer, o executivo relatou que os indicadores mostram que o quadro mudou, um reconhecimento que pode ser observado pela valorização da empresa na bolsa e pela relação da petroleira com os credores.

Parente lembrou que no primeiro ano de governo Temer, a dívida da empresa caiu R$ 90 bilhões, a companhia voltou a ter lucro, melhorou a produtividade, investiu mais e aumentou a produção. “É uma empresa que volta a ter condição de dar orgulho ao brasileiro”, observou.

Ele explicou ainda que o reconhecimento por essa melhora de desempenho pode ser observada por dois indicadores: valorização dos papéis da empresa na Bolsa de Valores de São Paulo (BM&FBovespa) e os juros cobrados por investidores para emprestar dinheiro para a Petrobras. “Esses juros caíram a menos da metade. Não está ainda no ponto que estava, mas estamos trabalhando para chegar lá”, afirmou.

Refinaria de Pasadena

O executivo ainda falou que a empresa decidiu vender a refinaria de Pasadena, no Texas (EUA). “Nós fizemos um planejamento estratégico onde estabelecemos que nosso foco é óleo e gás no Brasil, que é o que a Petrobras sabe fazer, onde somos muito bons”, observou.

“Pasadena não é estratégica, outros players poderão fazer uso melhor e por isso que nós decidimos colocar [Pasadena] em nosso plano de desinvestimento”, explicou. A refinaria do Texas se tornou alvo de suspeitas na gestão anterior e atualmente é investigada na operação Lava-Jato.

Fonte: Portal Planalto