Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2017 > 04 > Pacote de medidas para o turismo criará mais empregos, diz presidente da Embratur

Notícia

Pacote de medidas para o turismo criará mais empregos, diz presidente da Embratur

Brasil + Turismo

Medidas do governo federal irá gerar mais investimentos, empregos e dará mais competitividade para setor brasileiro de turismo
por Portal Planalto publicado: 11/04/2017 19h03 última modificação: 11/05/2017 20h21

Como parte do esforço de ampliar a oferta de empregos e aumentar a renda dos brasileiros, o governo federal lançou nesta terça-feira (11) um pacote de medidas para desburocratizar e dar mais competitividade ao setor brasileiro de turismo. O programa Brasil + Turismo busca aproveitar o grande potencial do turismo brasileiro na recuperação da economia.

Apenas em 2016, a receita com o ingresso de estrangeiros no País somou US$ 6 bilhões, criando 7 milhões de empregos, diretos e indiretos. Com essas medidas, a estimativa é que esses números cheguem, respectivamente, a US$ 19 milhões e 13 milhões de postos de trabalho em 2022.

“O Brasil é um grande mercado interno de turismo, mas pode crescer muito mais”, apontou o presidente da Embratur, Vinicius Lummertz, em entrevista ao Portal Planalto. Para ele, as medidas anunciadas implantam mudanças importantes, dentro do espírito reformista do governo federal.

Na visão do Lummertz, o plano tem o potencial de ampliar o destaque do turismo brasileiro no cenário mundial e vai acelerar a geração de empregos no Brasil. “Para isso [gerar empregos], é necessário fazer essas reformas para que o turismo flua melhor, rebaixe custos... Aí você vai ter esse fenômeno de geração de empregos acelerado”, disse.

Passagens mais baratas

Entre as mudanças, o governo enviará ao Congresso um projeto de lei prevendo a abertura total do capital das empresas aéreas, que deve resultar mais competitividade e preços mais baixos no setor aéreo. “Com isso, vamos ter a capitalização desse mercado. E nós, com isso, queremos aumentar a competição no mercado para baixar os preços para que o brasileiro viaje mais pelo Brasil”, apontou.

Atualmente, a legislação permite que empresas estrangeiras mantenham um percentual de 20% no controle das empresas aéreas brasileiras. Com a medida, esse valor pode chegar a 100%, aumentando investimentos e tornando o setor ainda mais competitivo. Além disso, a quantidade de rotas irá aumentar, incentivando, também, a aviação regional.  

Nova Embratur

Importante medida para dar mais dinamismo ao setor, outro projeto tornará a Embratur um serviço social autônomo. Ou seja, uma agência que trabalhará ao lado do governo federal, mas com orçamento independente.

“Uma figura parecida com a do Sebrae, da Apex. Mais flexível, com recursos independentes do orçamento, com mais condições competitivas de mercado”, ressaltou Lummertz.

Fonte: Portal Planalto, com informações do MTur e Banco Central

[AGORABRASIL] O Brasil está mudando agora