Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2017 > 03 > Passado de pai para filho, o sonho do São Francisco vira realidade na PB

Notícia

Passado de pai para filho, o sonho do São Francisco vira realidade na PB

Abastecimento

Com a entrega do último trecho do Eixo Leste do Projeto de Integração do Rio São Francisco, população de Monteiro (PB) terá garantia de água no enfrentamento à seca
por Portal Planalto publicado: 14/03/2017 18h14 última modificação: 15/03/2017 15h00
Reprodução/Portal Planalto Moradores acompanharam a chegada das águas do São Francisco

Moradores acompanharam a chegada das águas do São Francisco

Enfrentando os efeitos de uma estiagem que dura cinco anos, os moradores de Monteiro (PB) viram um sonho se transformar em realidade na semana passada. Na última sexta-feira (10), as águas do Rio São Francisco chegaram à cidade para acabar com o sofrimento dos 33 mil moradores do município do sertão paraibano.

A realidade vivida até então por gerações de sertanejos da região é de açudes e mananciais com níveis baixos e água sem qualidade nas torneiras. Na área rural, a criação de animais e as plantações ficavam comprometidas. “As águas agora estão aqui, graças a Deus, estão chegando”, disse o agricultor Pedro Bezerra de Souza, 52 anos.

De pai para filho, a promessa da integração do Rio São Francisco era contada como uma história distante, criando expectativa naqueles que vivem o dia a dia de ter que viver e tirar o sustento sem água. “Nós sempre dizíamos [a meu pai]: ‘será que nós vamos ver, pai?’. Ele dizia: ‘Meu filho, vocês podem ver, mas eu não vejo não’”, disse.

O pai do agricultor paraibano morreu aos 87 anos sem ver as águas do São Francisco chegarem até o sertão paraibano. Sonho tornado realidade durante a visita do presidente da República, Michel Temer, ao município. Temer abriu as comportas para a água correr pelo último trecho do Eixo Leste do Projeto de Integração do Rio São Francisco (Pisf).

Situação familiar vivida também por José Tomé Ferreira. Aos 63 anos, nascido e criado na cidade, ele conta que muitos não acreditam mais na integração do rio. “Meu pai morreu com 93 anos, [e o] pessoal sempre falava nessa água. É uma alegria imensa, o cabra ver uma água dessa chegar aqui. Eu estou vendo com meus olhos, graças a Deus”, afirmou.

Segurança e produção

Após percorrer 217 km, as águas do Velho Chico vieram acabar com o sofrimento da região. Para a prefeita de Monteiro, Anna Lorena Nóbrega, o momento representa a “redenção” do povo de Monteiro. Ela ressalta que o canal traz segurança hídrica, cria condições para a produção dos pequenos agricultores e melhora a saúde pública, permitindo o abastecendo com água potável a 98% da população.

“Antes de qualquer coisa, a gente fala em saneamento, influencia diretamente saúde pública, tendo em vista, que muitas vezes a população não está recebendo água de qualidade. E sem dúvidas os agricultores garantirão o seu sustento com a agropecuária, com a caprinocultura, que é o nosso forte”, afirmou.

Futuro

José Carlos Feitosa, agricultor, fez questão de estar presente na chegada da água. “Vim visitar aqui a obra, que essa obra para nós nordestinos é uma realidade imensa, porque só quem tem sede tem pressa, né?”, disse.

E diferentemente de todas as gerações que sofreram com a seca enquanto aguardavam uma promessa se cumprir, ele presencia, está ali para viver este momento em que o sonho do sertanejo de Monteiro se realiza. “Isso aqui é uma obra que vai ficar de geração a geração. Para os meus filhos, futuramente, os meus netos vão presenciar essa obra aqui.”

Fonte: Portal Planalto