Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2017 > 03 > Novos investimentos do PPI devem gerar 200 mil empregos

Notícia

Novos investimentos do PPI devem gerar 200 mil empregos

Projeto Crescer

Pela previsão do governo, os projetos resultarão em investimentos de R$ 45 bilhões. Serão obras de transporte, energia e saneamento
por Portal Planalto publicado: 07/03/2017 18h30 última modificação: 08/03/2017 14h26
Beto Barata/PR Presidente da República, Michel Temer, e secretário-geral da presidência, Moreira Franco, participam de reunião do PPI

Presidente da República, Michel Temer, e secretário-geral da presidência, Moreira Franco, participam de reunião do PPI

Com os novos investimentos previstos após a ampliação do Programa de Parceria de Investimentos (PPI), 200 mil postos de trabalhos diretos e indiretos devem ser gerados no País. A previsão foi feita nesta terça-feira (7) pelo presidente da República, Michel Temer, ao abrir reunião do Conselho do PPI no Palácio do Planalto.

A previsão é de que R$ 45 bilhões sejam aplicados nos projetos, que estão concentrados nas áreas de energia, transporte e saneamento. “Precisamos fazer logo isso [começar as obras], por que o que mais almejamos é o combate ao desemprego”, afirmou Temer, na abertura da reunião do conselho.

Esses projetos do PPI são leilões, concessões e outras operações que vão incentivar a iniciativa privada a criar e melhorar a infraestrutura no País e beneficiar brasileiros de todas as regiões. Nesse cenário, Temer acredita que o Brasil entra em uma nova fase de prosperidade, com a participação decisiva do setor privado.

Previsibilidade de regras

O ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco, afirmou que os primeiros projetos do PPI estão em execução e começam a se converter em benefícios para a população. Na reunião, ele apresentou um cronograma dos novos projetos. O calendário, junto às regras mais claras e definidas, vai dar mais previsibilidade ao País.

“As pessoas, sejam jurídicas ou físicas, precisam saber o que vai ocorrer e em que regras vão ocorrer, sobretudo ter as garantias que essa regras vão ser respeitadas no futuro”, afirmou Moreira Franco.

Fonte: Portal Planalto

Assunto(s): Economia, Investimento