Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2017 > 03 > Investigação não pode prejudicar quem está dentro da lei, diz governador de MT

Notícia

Investigação não pode prejudicar quem está dentro da lei, diz governador de MT

Pecuária

Pedro Taques defendeu a continuidade da apuração pela Polícia Federal. No entanto, ponderou que são “poucos” os frigoríficos citados no caso
por Portal Planalto publicado: 21/03/2017 16h20 última modificação: 21/03/2017 16h36
Foto: Marcos Corrêa/PR Estado de Mato Grosso desenvolveu selo estadual de certificação de carnes, único no País

Estado de Mato Grosso desenvolveu selo estadual de certificação de carnes, único no País

Governador do Mato Grosso, estado com forte vocação para a pecuária, Pedro Taques defendeu nesta terça-feira (21) a continuidade das investigações da Operação Carne Fraca. Porém, na visão dele, as empresas brasileiras que trabalham com seriedade não podem ser prejudicadas.

Taques esteve hoje no Palácio do Planalto para uma reunião com o presidente da República, Michel Temer, onde trataram de temas relacionados ao Mato Grosso. “São poucos os frigoríficos. O fato tem que ser investigado. [Mas] a investigação não pode prejudicar a ação daqueles que estão dentro da licitude, da lei”, disse, em entrevista ao Portal Planalto.

Nenhuma das plantas frigoríficas ou funcionários investigados pela operação da Polícia Federal estão em Mato Grosso, lembrou Taques. Ele presenteou o presidente com carnes produzidas no estado, que possuem a certificação de qualidade do Instituto Mato-grossense da Carne (Imac).

Além de reforçar a fiscalização do produto estadual, o Imac promove o desenvolvimento de pesquisas e tecnologias para melhoria da carne. O selo é o sexto criado no mundo para garantir a procedência dos cortes. Existem institutos também na Austrália, na Nova Zelândia, na Argentina, no Uruguai e nos Estados Unidos da América.

“No Brasil, temos o Imac, que trata da certificação, da rastreabilidade da carne, mostrando a sua procedência, o que neste momento é muito significativo para que o Mato Grosso e o Brasil possam conquistar mercados internacionais”, explicou.

Fonte: Portal Planalto, com informações do Governo de Mato Grosso